Especialista afirma que videogames interativos ajudam a combater o sedentarismo

Na contramão dos malefícios dos jogos eletrônicos, prática de exergames pode aumentar autoestima e saúde física das crianças, diz Hugo Tourinho Filho

 25/10/2021 - Publicado há 1 mês
Por
Os pesquisadores notaram, após contato com os exergames, aumento de interesse por outras atividades físicas – Foto: UFG

Unir os benefícios das atividades físicas à diversão proporcionada pelos videogames pode ser uma ótima maneira de incentivar as crianças à prática de exercícios. Essa é a proposta dos exergames, jogos interativos que utilizam o próprio corpo para brincar. Segundo o pesquisador Hugo Tourinho Filho, professor da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) da USP, esses games são capazes de melhorar a condição cardiorrespiratória, os índices de força e o perfil lipídico das crianças, em contraposição ao crescente sedentarismo.

Autoestima e interesse por atividades físicas

+ Mais

Jogos eletrônicos podem ajudar a controlar obesidade infantil

A equipe liderada por Tourinho Filho conseguiu as primeiras comprovações dos benefícios dos exergames entre 2018 e 2019, com a pesquisa de mestrado de Rafaella Belem Aragão. Na época, acompanharam 50 crianças com sobrepeso e obesidade, durante três meses, em prática dos jogos duas vezes por semana. Os resultados apontaram melhora na autoestima e na percepção corporal da imagem das crianças, além da maior aceitação de si mesmas. Além disso, os pesquisadores também notaram, após contato com os exergames, aumento de interesse das crianças por outras atividades físicas.

Tecnologia a favor da saúde e bem-estar

A explicação para a melhora no autoconhecimento dos pequenos, segundo Tourinho Filho, está na “possibilidade de viver experiências positivas maiores” enquanto jogam nos exergames. É que, quando a pessoa “salta ou joga uma partida de futebol nos exergames”, experimenta maiores chances de sucesso, com impacto direto na autoestima.

Os resultados apontaram melhora na autoestima e na percepção corporal da imagem das crianças, além da maior aceitação de si mesmas – Foto: George Campos/USP Imagens

 

Ainda segundo o especialista, tais videogames podem amenizar questões fisiológicas do organismo. Com o avanço do sedentarismo e aumento da obesidade, algumas crianças já apresentam problemas com níveis de triglicerídeos e colesterol. Como a prática de exergames se assemelha à de exercícios tradicionais, Tourinho afirma que o game é capaz de melhorar a saúde das crianças. A socialização com outras pessoas, advinda dos videogames interativos, também é ponto positivo apontado pelo pesquisador. “É usar a tecnologia não mais como vilã, mas como aliada”, diz o professor, que incentiva a adesão aos exergames.

Tourinho Filho também trabalha com o tema no projeto de extensão Exergames – Projeto de condicionamento físico com games interativos para crianças obesas e/ou com sobrepeso, suspenso das atividades presenciais durante a pandemia de covid-19, mas já em organização para retorno com segurança. No momento, o Grupo de Estudo em Tecnologia e Games Aplicados à Saúde, liderado pelo professor Tourinho Filho, avança nas pesquisas com exergames.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.