Legado do físico Steven Weinberg é essencial para entender como o Universo funciona

Físico, que morreu aos 88 anos, elaborou teoria que unifica interações eletromagnéticas, comuns no cotidiano, e fracas, ligadas à radioatividade

 19/08/2021 - Publicado há 4 meses
Por

A importância das pesquisas de Steven Weinberg, que morreu no último dia 23 de julho, aos 88 anos, é o tema da coluna do físico Paulo Nussenzveig. “Muito de nosso atual entendimento do Universo é devido a desenvolvimentos que ele concebeu ou de que participou diretamente. Eu não poderia deixar de mencionar a obra dele neste espaço e ressaltar características que estão entre as que mais admiro em cientistas”, conta. “Steven Weinberg nasceu em 1933, na cidade de Nova York, filho de imigrantes judeus. Seu interesse por ciência, segundo ele contou, nasceu de um kit de química que ele herdou, quando tinha 16 anos, de um primo que preferiu ser boxeador.”

“Ele concluiu o ensino médio em 1950, no Bronx High School of Science, onde também se formaram, na mesma época, outros laureados com o Prêmio Nobel, como Leon Cooper e Melvin Schwartz, assim como Sheldon Glashow, que foi seu colega de turma, colega de graduação na Universidade de Cornell e com quem recebeu, juntamente com Abdus Salam, o Prêmio Nobel de Física em 1979”, relata o físico. “Conforme Frank Wilczek, em obituário na revista Nature, é provavelmente uma boa política científica acolher imigrantes e juntar crianças talentosas para estudar.”

“A mais importante contribuição científica de Weinberg, que lhe rendeu o Prêmio Nobel, foi a unificação de duas interações físicas consideradas distintas, as interações eletromagnéticas, responsáveis pela grande maioria das forças que experimentamos no cotidiano, e as interações fracas, que ocorrem nos núcleos e permitem compreender os decaimentos radioativos”, afirma Nussenzveig.


Ciência e Cientistas
A coluna Ciência e Cientistas, com o professor Paulo Nussenzveig, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.