Empresas ajudam laboratórios da USP a realizar testes na região de Pirassununga

Laboratórios da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) já realizaram mais de 3.500 testes da covid-19

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=334130
Arte: Jornal da USP
Uma das principais ações desenvolvidas pela USP no combate à pandemia é a Rede USP para o Diagnóstico da Covid-19 (Rudic), que realiza testes moleculares do tipo qRT-PCR para a detecção do novo coronavírus.

Heidge Fukumasu – Foto: FZEA-USP

Na região de Pirassununga, dois laboratórios da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), que já tinham condições técnicas e a qualificação de biossegurança necessária (NB2) para trabalhar com o novo coronavírus, redirecionaram seus esforços para formar uma força-tarefa, em parceria com a Prefeitura, para a realização dos testes de diagnóstico.

Coordenados pelos professores Heidge Fukumasu, Helena Lage Ferreira e Juliano Coelho da Silveira, o grupo formado por docentes, funcionários, alunos de pós-graduação, pós-doutorandos e pesquisadores voluntários, começou a realizar os testes no dia 9 de abril.

Para esse início, foi fundamental o apoio de cinco empresas que doaram para os laboratórios, principalmente, material de higienização e equipamentos de proteção individual (EPIs): Vetnil, Suiaves, Indústria de Bebidas Pirassununga, IKA do Brasil e Boehringer Ingelheim.

“Neste tipo de atividade, utilizamos muitos EPIs e outros materiais para a manutenção do nível de segurança adequado para realização dos testes. Essas doações são essenciais, especialmente porque houve um aumento substancial nos preços desses materiais por causa da epidemia”, explica o professor Heidge Fukumasu.

Nesses três meses de trabalho, o grupo já realizou mais de 3.500 testes moleculares do tipo qRT-PCR. Além da cidade de Pirassununga, os laboratórios atendem a outras 14 cidades da região e também recebem amostras encaminhadas pela Plataforma de Laboratórios para Diagnóstico de Covid-19 do Estado de São Paulo.

“A atuação da USP no interior do Estado tem sido essencial no combate à pandemia. Com o diagnóstico, as pessoas são isoladas e diminui a chance de contágio. Em Pirassununga, por exemplo, temos feito os testes desde o início da pandemia, e a ação rápida da vigilância epidemiológica foi fundamental para que os números de internações e óbitos fossem menores aqui do que em cidades vizinhas. Nosso trabalho tem, de fato, ajudado a salvar vidas”, ressaltou Fukumasu.

Rede USP para o Diagnóstico da Covid-19

A Rede USP para o Diagnóstico da Covid-19 (Rudic) foi criada em 19 de março, por iniciativa da Reitoria, para alinhar as diversas ações de pesquisadores da Universidade que buscavam uma solução para a dificuldade de realização de testes da covid-19.

Composta de laboratórios da USP credenciados pelo Instituto Adolfo Lutz para auxiliarem na realização dos testes, a Rudic é organizada em seis núcleos: Bauru, Ribeirão Preto, Pirassununga, Piracicaba e dois na capital (Cidade Universitária e Quadrilátero da Saúde/Direito). A proposta é atuar em duas vertentes: na prestação de serviços, integrando a Plataforma de Laboratórios para Diagnóstico de Covid-19 do Estado de São Paulo, coordenada pelo Instituto Butantan, e na pesquisa e inovação, sugerindo ou produzindo insumos e novas propostas de testes diagnósticos.

Além da realização de testes moleculares tipo qRT-PCR, algumas equipes da Rudic também foram selecionadas para realizar os testes de validação dos insumos recebidos.

“Os testes moleculares por qRT-PCR se baseiam na detecção, por reação de PCR em tempo real, do material genético do vírus e, consequentemente, permitem a identificação de indivíduos portadores do Sars-Cov-2, sendo considerado o teste de padrão ouro. Essa informação é crucial, particularmente neste momento, para o enfrentamento da epidemia”, explica o coordenador da Rede, Roger Chammas.

Os núcleos do interior também atendem à demanda de testes da Secretaria do Estado da Saúde e das Prefeituras locais, além dos testes encaminhados pela Plataforma de Laboratórios.

 

O projeto USP Vida está voltado a pessoas físicas e jurídicas que tenham interesse em doar recursos diretamente para as pesquisas desenvolvidas pela instituição ou para o Hospital Universitário, a fim de que sejam aplicados em assistência e internação hospitalar.

As doações poderão ser feitas por meio de depósito em conta corrente, transferência bancária ou pagamento em cartão de crédito. Os recursos arrecadados serão administrados por um Comitê Gestor de Cientistas, coordenado pelo pró-reitor de Pesquisa da USP, e alocados em conta específica na Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (Fusp).

Clique aqui para doar ou saber mais sobre o programa.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.