USP celebra Consciência Negra nos campi da capital e do interior

De 18 a 21 de novembro, atividades culturais gratuitas vão promover debates sobre a questão racial no Brasil

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=209001
  • 484
  •  
  •  
  •  
  •  
Cartaz do programa USP Diversidade – Foto: Divulgação

Promovida pelo programa USP Diversidade, em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares, a campanha Viva a Consciência será realizada de 18 a 21 de novembro, e compõe a Semana da Consciência Negra com ações integradas de educação em direitos humanos. A programação inclui atividades culturais gratuitas, como debates, exibição de filmes, exposições, espetáculos de dança, teatro e música, e acontece em várias cidades de São Paulo: Ribeirão Preto, Piracicaba, São Carlos, Bauru e capital. O programa USP Diversidade é ligado à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

A professora Ana Paula Morais Fernandes, coordenadora do programa USP Diversidade e organizadora da campanha Viva a Consciência – Foto: Arquivo Pessoal

Segundo a coordenadora do programa, professora Ana Paula Morais Fernandes, docente da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP, a campanha propõe a integração de ações da Universidade para o fortalecimento do respeito à diversidade. “A campanha Viva a Consciência tem como objetivo central a inclusão e a redução da discriminação, e ainda prevê o fortalecimento dos direitos humanos”, afirma. Segundo a professora, foram enviados convites às unidades da USP e há programação em vários campi da Universidade, sendo que muitas delas ainda estão encaminhando as ações, por isso mais atividades ainda serão incorporadas ao evento. “Essas ações revelam e fortalecem o compromisso de responsabilidade social da Universidade e dão visibilidade às boas práticas da academia”, completa.

A pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da USP, professora Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Para a pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da USP, professora Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado, a universidade pública tem um importante papel junto à sociedade. “A Universidade valoriza as atividades, sobretudo as relacionadas à consciência negra, com várias ações nesse sentido, reconhecendo tudo aquilo que o povo brasileiro, em sua diversidade, contribui para a evolução não só acadêmica, mas científica e até profissional do nosso país”, afirma. “O programa USP Diversidade está inserido num programa maior, que se chama USP Comunidade, e tem realizado várias ações para valorizar a diversidade dentro da Universidade”, completa, adiantando que em breve deverá ser assinado um acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do seu programa Unaids, acerca de questões do HIV/Aids.

 

Ações da campanha

O Grupo Tendal, do Coral da USP (Coralusp), se apresenta no Estádio do Pacaembu, na capital paulista, no dia 20, terça-feira, às 15h30  – Foto: Divulgação / Acervo Coralusp

A programação está dividida pelas cidades participantes. Em São Paulo, no feriado de 20 de novembro (Dia da Consciência Negra), às 15h30, no Estádio do Pacaembu, o Grupo Tendal, do Coral da USP (Coralusp), apresenta o projeto Estação Tendal: 20 Anos de um Coralusp Espalhado por Toda São Paulo, em que recria o repertório dos 13 programas já apresentados ao longo de seus 20 anos. No dia 21 de novembro, às 19 horas, o Teatro da USP (Tusp) recebe a apresentação do grupo de capoeira Guerreiros de Senzala e do Núcleo de Extensão e Cultura em Artes Afro-Brasileiras, com samba de roda, percussão e aula aberta de danças afro-brasileiras. Também no dia 21, às 19 horas, o Cinema da USP (Cinusp) exibe em sessão especial o filme Xime (Guiné-Bissau, 1994), dirigido por Sana Na N’Hada, que retrata os conflitos de valores em uma aldeia. Finalizando a programação, a Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP promove uma aula-debate sobre as questões de gênero e interseccionalidade (dia 21, às 19 horas) e discussões acerca da incorporação efetiva das cotas na universidade (dia 22, às 17h30).

Já em Ribeirão Preto, no Theatro Pedro II, no dia 20, às 20h30, a Orquestra de Alunos do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) apresenta concerto com obras de compositores e poetas negros e mulatos. Ainda no dia 20, às 16 horas, acontece a roda de conversa Cotas, Colorismo e Comissões de Verificação, discutindo as cotas raciais. O assunto também será abordado em filmes exibidos nos dias 20 (sessões às 12, 16 e 18 horas) e 21 (16 horas), na FFCLRP e na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Entre os dias 19 e 21, a FCFRP ainda apresenta uma exposição de banners virtuais com imagens relacionadas ao tema da diversidade.

Xime (Guiné-Bissau, 1994), filme dirigido por Sana Na N’Hada que retrata os conflitos de valores em uma aldeia, será exibido no Cinema da USP (Cinusp), no dia  21, às 19 horas – Foto: Divulgação / Cinusp

A Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) promove a mostra Cinema e Negritude, com exibições de filmes que problematizam questões raciais, seguidas de debate. Serão exibidos Felicidade Por um Fio (Estados Unidos, 2018), de Haifaa al-Mansour, e Maculelê (Brasil, 2018), respectivamente nos dias 19 e 21 de novembro, às 19 horas. No dia 21, ainda na EERP, às 10 horas, acontece a mesa-redonda Racismo Institucional, Cultura e Religiões Afro-Brasileiras: Costurando Pesquisas e Intervenções no Campo da Saúde, em que serão discutidos aspectos relacionados à pesquisa e à intervenção sobre as religiosidades de matriz africana, a capoeira e a saúde da população negra.

A cidade de São Carlos recebe, no Auditório Florestan Fernandes da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), no dia 21, às 20h30, a mesma apresentação que será realizada em Ribeirão Preto pela Orquestra de Alunos do Departamento de Música da FFCLRP, com programa que reúne obras de compositores e poetas negros e mulatos. Em Bauru, será realizada uma exposição de fotos de personalidades negras, com pequenas biografias, no hall de entrada da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Em Piracicaba, será apresentado o espetáculo Viva a Consciência – Vozes da Esalq em Sintonia, no Salão Nobre da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz (Esalq), com a participação dos grupos corais da faculdade, interpretando repertório de músicas africanas e brasileiras com influência afro (dia 21 de novembro, às 20 horas).

A campanha Viva a Consciência será realizada de 18 a 21 de novembro, com entrada gratuita, em várias cidades: São Paulo, São Carlos, Piracicaba e Ribeirão Preto.

  • 484
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados