Cinema da USP inaugura sala com mostra de filmes taiwaneses

Obras recentes da produção cinematográfica de Taiwan serão mostradas de 30 de setembro a 20 de outubro

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=275052
Exibição em Veneza, na Itália, do filme em realidade virtual The Deserted, que está na nova mostra do Cinema da USP – Foto: Divulgação da Mostra Internacional de Cinema de Veneza

.

Com um cinema tão poderoso e influente no mundo, principalmente no leste da Ásia, Taiwan nem parece ser uma pequena ilha ao lado da China, com apenas 23 milhões de habitantes. Tamanha é sua cinematografia que, pelo segundo ano consecutivo, o Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp) apresenta uma mostra com obras produzidas naquele país, intitulada Novos Olhares sobre Taiwan, que fica em cartaz de 30 de setembro a 20 de outubro. 

A mostra marca a inauguração de uma nova sala de exibição do Cinusp, instalada no prédio do Anfiteatro Camargo Guarnieri, na Cidade Universitária, em São Paulo, a pouco mais de cem metros da sua antiga sala. O primeiro filme a ser exibido na nova sala é uma produção em realidade virtual, The Deserted, de 2017, do diretor Tsai Ming-Liang, um dos primeiros do mundo a utilizar essa tecnologia. “Abrir a sala com um filme em realidade virtual, e não com um filme em tela, tem um certo simbolismo. Aponta para o futuro, para as novas possibilidades da arte cinematográfica”, afirma a professora Cecília Antaky de Mello, do Departamento de Audiovisual da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, que faz a curadoria da mostra ao lado da pesquisadora Kelly Hsieh. “O cinema hoje não existe mais só na tela, ele se expande e ocupa outros espaços, como o mundo virtual, que ainda assim faz parte do audiovisual.”

O diretor do Cinusp, Cristian Borges, destaca que a nova sala conta com recursos avançados – como a tecnologia de projeção em DCP 4k -, além de mezanino e cabine separada, de que a antiga sala não dispunha. A capacidade também aumentou: passa dos atuais cem lugares para 150. “Agora nós temos uma verdadeira sala de cinema”, comemora Borges. Segundo ele, os próximos meses serão de transição da programação principal para a nova sala, enquanto a antiga ficará destinada a eventos paralelos e alternativos. “Essa inauguração vem completar as comemorações dos 25 anos do Cinusp”, completa o diretor.

Na abertura da mostra Novos Olhares sobre Taiwan, no dia 30, às 19 horas, no Anfiteatro Camargo Guarnieri, será apresentado um show de dança taiwanesa. Em seguida, haverá a projeção de curtas-metragens. Nos dias seguintes, a sala antiga exibirá a programação completa da mostra, enquanto a nova estará disponível para a exibição do filme em realidade virtual The Deserted. As sessões ocorrerão também na sala Carlos Reichenbach do Centro Universitário Maria Antonia da USP, na Vila Buarque, região central de São Paulo, e no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA, na Cidade Universitária (a programação completa do evento está disponível no site do Cinusp).

A mostra 

Os filmes escolhidos para a mostra Novos Olhares sobre Taiwan são mais atuais e revelam uma nova visão do cinema taiwanês. “Essa cinematografia se tornou mais próxima do público, um cinema que não é exatamente de festival ou autoral, mas que tem um apelo comercial maior”, conta a professora Cecília.

Dentre os títulos apresentados na mostra está Cape Number 7, de Wei Te-sheng. A obra de 2008 é uma comédia romântica com um pano de fundo histórico de Taiwan e representa bem essa tendência de filmes mais comerciais, adotada no século 21. Lançado em 2008, o filme alcançou grande sucesso em Taiwan, perdendo apenas para a bilheteria de Titanic até então, como informa o site do Cinusp. Ele mistura elementos do rock e das culturas japonesa e taiwanesa para elaborar um romance leve, que inclui a história de um amor perdido no passado. 

Diretores já consagrados por seus filmes dos anos 80 também ganham espaço com seus trabalhos mais atuais. É o caso de Edward Yang, com As Coisas Simples da Vida (2000), e de Ang Lee, com Desejo e Perigo (2007), ambos premiados em festivais ao redor do mundo. O filme de Yang obteve o prêmio de Melhor Direção no Festival de Cannes, na França, e foi incluído nas listas dos melhores filmes do século 21 da BBC, The New York Times e Village Voice. “O filme mostra, por meio de histórias individuais de uma família, a beleza e a tristeza nos grandes e pequenos momentos da vida”, traz o site do Cinusp. Já a obra de Ang Lee ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza, na Itália. “O filme é polêmico por suas cenas explícitas de sexo e violência e mostra os dilemas que a resistência chinesa enfrentou durante a ocupação japonesa e as decisões extremas, abusivas e arriscadas que o movimento tomou em nome da revolução”, segundo o Cinusp.

 

Cena do filme As Coisas Simples da Vida, de Edward Yang – Foto: Divulgação do filme As Coisas Simples da Vida

.

Além dos filmes, a mostra apresentará dois debates. O primeiro deles ocorre no dia 4 de outubro, após a exibição de O Caminho para Mandalay, às 19 horas, e contará com a participação das curadoras da mostra, Cecília Antaky de Mello e Kelly Hsieh. Já no dia 17 de outubro, após a apresentação de The Outsiders, esse filme será debatido com a presença do seu diretor, o cineasta taiwanês Yu Kan-Ping.

.

.

A mostra Novos Olhares sobre Taiwan tem apoio do Ministério da Cultura de Taiwan e do Escritório Econômico e Cultural de Taipei em São Paulo.

A mostra de filmes Novos Olhares sobre Taiwan, do Cinema da USP Paulo Emilio (Cinusp), fica em cartaz de 30 de setembro a 20 de outubro nas duas salas do Cinusp na Cidade Universitária (Rua do Anfiteatro, 109, e Rua do anfiteatro, 181), no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP (Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443, também na Cidade Universitária), e no Centro Universitário Maria Antonia da USP (Rua Maria Antonia, 258, na Vila Buarque, região central de São Paulo). Entrada grátis. Mais informações e a programação completa da mostra estão disponíveis no site do Cinusp.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •