Em seis anos, índice médio de preços de imóveis cai 25%

Em Ribeirão Preto, preço médio do m² está em R$ 4.113

 10/06/2020 - Publicado há 1 ano  Atualizado: 15/06/2020 as 10:15
Por

Entre dezembro de 2019 e março de 2020 a média do preço de venda dos imóveis teve uma queda de 0,04%, de acordo com índice geral FipeZap, que analisa dados das principais cidades das regiões Centro-Oeste, Nordeste, Sul e Sudeste.

Os dados são do Boletim Construção Civil do mês de maio, dos pesquisadores Eduardo Teixeira e Pedro Roveri, coordenado pelo professor Luciano Nakabashi, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP.

O índice aponta ainda que o setor sofre com uma dificuldade nos últimos seis anos: entre janeiro de 2014 e março de 2020, a queda no índice médio de preços foi de 25%.

Nas regiões Sul e Centro-Oeste os resultados foram positivos: entre dezembro de 2019 e março de 2020, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre tiveram crescimento real de preços de 0,14%, 1,7%, e 0,03%, respectivamente. No mesmo período, Brasí­lia apresentou crescimento real de 0,75% enquanto que Goiânia não apresentou variação.

No Nordeste e no Sudeste, as cidades analisadas fecharam com quedas reais nos preços: Recife (-1,4%), Fortaleza (-1,7%) e Salvador (-0,11%). São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte fecharam o trimestre com quedas reais de -1,2%, -2,3% e -1,6%, respectivamente.

Em março deste ano, o valor médio dos imóveis foi de R$ 7.262/m², segundo dados do FipeZap. O Rio de Janeiro apresentou o m² mais caro do País, com R$ 9.297, seguido por São Paulo (R$ 9.059) e Brasí­lia (R$ 7.412). Em Ribeirão Preto, a variação nos últimos 12 meses foi de 3,58%, e o preço médio do m² está em R$ 4.113.

O mercado de crédito no Brasil apresenta forte tendência de baixa entre os meses de janeiro de 2017 e janeiro de 2020. Em Ribeirão Preto, de janeiro de 2019 a janeiro de 2020, houve queda de -3,1% nas operações de crédito.

Por: Leonardo Rezende


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.