Fascinação pelo cinema é tema de nova mostra do Cinusp

Até 8 de março, na Cidade Universitária, “Para Gostar de Cinema” vai apresentar produções de 12 países

 18/02/2020 - Publicado há 2 anos

Intitulada Para Gostar de Cinema, a nova mostra de filmes do Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp) – que começou nesta segunda-feira, dia 17, e prossegue até 8 de março – tem como objetivo fascinar os espectadores, tanto os já aficionados pela sétima arte como os novatos. Para isso, serão exibidas produções de 12 países, que expõem uma ampla variedade de temas, estéticas e ambientes. “Os longas aqui destacados são notáveis pelo seu grande apelo visual, sonoro e narrativo, revelando a força do cinema enquanto arte articuladora desses elementos, além do impacto emocional e sensorial provocado por esses filmes”, afirma a curadoria da mostra, num texto de divulgação do evento. A entrada é grátis.

Playtime: Tempo de Diversão (França/Itália, 1967), direção de Jacques Tati – Foto: Divulgação/Cinusp

“Queremos mostrar que o cinema pode provocar grandes sentimentos nas pessoas, não importam a época e o país”, afirma o produtor Davi Silva Morales, um dos curadores da mostra. “Arte é arte em qualquer tempo e lugar.”

Ele cita como exemplo Powaqqatsi – A Vida em Transformação, uma produção norte-americana de 1988, dirigida por Godfrey Reggio. “Esse filme não é convencional, não é narrativo, mas sim uma poesia visual”, diz Morales. A obra de Reggio traz imagens de documentos relacionados a diferentes culturas e conta com a trilha sonora do compositor norte-americano Philip Glass. Sem diálogos, o filme tem cenas filmadas no Peru, Quênia, Egito, Israel, Hong-Kong, Nepal, Índia, França e Alemanha. Na mostra do Cinusp, Powaqqatsi – A Vida em Transformação será exibido nos dias 21 de fevereiro, às 16 horas, e 2 de março, às 19 horas.

Volver (Espanha, 2005), direção de Pedro Almodóvar – Foto: Divulgação/Cinusp

Outro exemplo de filme que deverá causar impacto nos espectadores da mostra Para Gostar de Cinema, segundo Morales, é Cafarnaum, de 2018, dirigido pela libanesa Nadine Labaki. “A história narrada no filme e o fato de ser um filme do Oriente Médio, a que não estamos acostumados a assistir, devem impressionar o público”, destaca o curador. Cafarnaum conta a história de um garoto de 12 anos, que decide processar os próprios pais por negligência. Ele será exibido na mostra do Cinusp nesta quinta-feira, dia 20, às 19 horas, e no dia 3 de março, às 16 horas.

Eu Matei a Minha Mãe (Canadá, 2010), direção de Xavier Dolan – Divulgação/Cinusp

O filme brasileiro que será apresentado na mostra é Bye Bye Brasil, de Cacá Diegues, lançado em 1979. Ele mostra a trajetória de três artistas ambulantes, que cruzam o País fazendo espetáculos para camponeses, cortadores de cana e índios, até chegar à Amazônia e, depois, a Brasília. Filmado durante a ditadura militar, a obra de Diegues foi classificada pela crítica como um dos melhores filmes brasileiros de todos os tempos. Bye Bye Brasil será exibido nesta quarta-feira, dia 19, às 19 horas, e em 2 de março, às 16 horas.

Asas do Desejo (1987), do alemão Wim Wenders, mostra dois anjos da guarda que perambulam por Berlim observando as pessoas e escutando seus pensamentos, mas invisíveis a elas, até que um deles se apaixona por uma trapezista. O filme se inspira em textos do poeta tcheco Rainer Maria Rilke (1875-1926) sobre a existência humana. Ele será exibido no dia 28, às 19 horas.

Bye Bye Brasil (Brasil, 1979), direção de Cacá Diegues – Foto: Divulgação/Cinusp

Da Espanha, será apresentado Volver (2005), de Pedro Almodóvar. “Ao saberem da morte da tia, as irmãs Raimunda e Sole retornam a sua cidade natal no interior da Espanha. Lá, as suas vidas são transformadas quando o fantasma da tia morta aparece para ajudá-las a resolver questões do passado”, informa a sinopse do filme. Volver está previsto para ser exibido no dia 6 de março, às 16 horas.

O canadense Eu Matei a Minha Mãe (2010), de Xavier Dolan, retrata a vida de Hubert, um jovem de 17 anos que não gosta da sua mãe. “Ele despreza seus gostos e sua personalidade, em uma relação pautada pela manipulação e pela culpa. Confuso e cada dia mais obcecado por ela, o garoto vive uma adolescência marcada por experiências artísticas, amizades, sexo e abandono.” O filme estará em cartaz nesta quarta-feira, dia 19, às 16 horas, e no dia 5 de março, às 19 horas.

A mostra do Cinusp traz ainda filmes de Hong-Kong, Japão, Argentina, França, Palestina e Itália.

Powaqqatsi – A Vida em Transformação (Estados Unidos, 1988), direção de Godfrey Reggio – Foto: Divulgação/Cinusp

Para Gostar de Cinema é uma mostra já antiga. Ela ficou em cartaz no Cinusp entre 2009 e 2012, contemplando produções cinematográficas de acordo com a época de lançamento. Foram realizadas seis edições, que destacaram filmes produzidos nas décadas de 60, 70, 80, 90 e 2000. “Agora, ela está de volta, com um novo olhar, focando na diversidade temporal e temática dos filmes”, afirma o curador Davi Morales. “Diversidade é uma marca do Cinusp.”

Cafarnaum (Líbano, 2018), direção de Nadine Labaki – Foto: Divulgação/Cinusp

 

Meu Amigo Totoro ( Japão, 1995), direção de Hayao Miyazaki – Foto: Divulgação/Cinusp

mostra Para Gostar de Cinema, do Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp), acontece de 17 de fevereiro a 8 de março, com sessões às 16 e às 19 horas, na sala 4 das Colmeias (Rua do Anfiteatro, 181, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. A programação completa do evento e mais informações estão disponíveis na página do Cinusp.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.