Pesquisadoras da USP estão entre as vencedoras do prêmio Para Mulheres na Ciência

Foram sete cientistas eleitas entre mais de 400 inscritas no Prêmio L´Oréal Brasil-Unesco-ABC. Elas vão receber bolsas de R$ 50 mil para auxiliar na continuidade das pesquisas

Por - Editorias: Ciências, Universidade
Share on Facebook6Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Atualizado 2 de agosto, às 12h30

2016 08 02 premio loreal
Claudia Kimie Suemoto, da Faculdade de Medicina da USP – Foto: Divulgação

As pesquisadoras da USP Claudia Kimie Suemoto e Denise Morais da Fonseca estão entre as sete vencedoras da 11ª edição do prêmio Para Mulheres na Ciência, programa brasileiro voltado às mulheres cientistas, realizado em parceria com a Unesco no Brasil e com a Academia Brasileira de Ciências (ABC).

As jovens vencedoras vêm de diferentes partes do Brasil. As pesquisas realizadas por elas oferecem novas soluções a questões importantes da humanidade e se concentram nas áreas de Ciências da Saúde, Química, Física e Matemática.

Os temas das pesquisas vão desde os efeitos das mudanças climáticas nos riscos de extinção até um estudo para desenvolver analgésicos que combatam a causa das dores de cabeça e nas extremidades.

Cada uma das sete cientistas receberá uma bolsa auxílio no valor de R$ 50 mil para dar prosseguimento em suas pesquisas.

A médica Claudia Kimie Suemoto, professora da disciplina de Geriatria da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), foi premiada por liderar uma pesquisa que busca compreender melhor os fatores de risco de demência, como a doença de Alzheimer e a demência vascular.

Um dos motivos do estudo é que as demências estão entre as principais causas de mortalidade e morbidade no mundo, embora sua cura ainda seja desconhecida.

Instituto de Ciências Biomédicas

crop2
Denise Morais da Fonseca, do Instituto de Ciências Biomédicas – Foto: Divulgação

Denise Morais da Fonseca, pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), procura entender como um único episódio de infecção aguda pode causar alterações específicas no sistema imunológico do intestino, formando uma espécie de “cicatriz” e predispondo o indivíduo ao desenvolvimento de outras doenças, como doença inflamatória intestinal, diabete, obesidade e doenças cardiovasculares.

Venceram o prêmio também a física Ana Chies Santos, a matemática Adriana Neumann de Oliveira, ambas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Gabriela Trevisan, da Universidade Federal de Santa Maria; a bióloga Fernanda de Pinho Werneck, do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia; e a professora de Química Elisama Vieira Santos, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

A cerimônia de premiação será no dia 20 de outubro, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Mais informações: site http://www.paramulheresnaciencia.com.br/

Com informações da Assessoria de Imprensa L’Oréal Brasil 

 

Share on Facebook6Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados