Concurso vai premiar novos usos para áreas de mineração em São Paulo

Estudantes universitários poderão apresentar projetos para reutilizar locais de mineração desativados

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Carajás, a maior mina do mundo a céu aberto, está localizada no estado do Pará – Foto: Paulo Santos / 1999 / Atlas Amazônia Sob Pressão via Agência Brasil

O edital do primeiro Concurso de Projetos de Destinação de Áreas Mineradas para Utilização Econômica e Social foi lançado nesta quinta-feira (5) na Escola Politécnica (Poli) da USP. Destinado a estudantes universitários de São Paulo, o concurso receberá propostas para reutilização de antigos locais de extração mineral no Estado. Além da engenharia, os projetos podem envolver outros campos do conhecimento, como arquitetura e turismo. As inscrições vão até 30 de junho e os vencedores serão anunciados em 31 de julho. A iniciativa é da Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, do Departamento de Engenharia de Minas e Petróleo da Poli e do Núcleo de Pesquisa para Mineração Responsável (NAP-Mineração) da USP.

O evento de lançamento, realizado no prédio da Administração da Poli, teve a presença de José Carlos de Souza Meirelles, secretário estadual de Energia e Mineração. Meirelles considera que o concurso poderá estimular o desenvolvimento econômico ao dar uma destinação para locais de mineração desativados. “Para ter mineração é preciso extrair o minério, seja uma simples areia, argila, pedra ou minerais mais sofisticados, tirando da natureza e o transformando”, disse. “O que fica, numa cava ou numa meia encosta, precisa de um tratamento que permita seu uso inteligente e até uma solução urbanística notável.”

O secretário lembrou que em vários lugares do mundo há hotéis de altíssimo luxo erguidos ao lado de cavas de mineração, aproveitadas para a formação de um lago, entre outras atividades. “O sentido do concurso é envolver os estudantes de diversas áreas de formação e conhecimento para discutirem o tema numa visão multicultural e levar possibilidades de melhoria e viabilidade econômica para a atividade mineral”, disse. Também compareceram ao evento o subsecretário de Mineração do Estado, José Jaime Sznelwar, e o secretário estadual adjunto de Meio Ambiente, Eduardo Trani.

Soluções para a sociedade

Reunião de lançamento do edital I Concurso de Projetos de Destinação de Áreas Mineradas para Utilização Econômica e Social – Fotos: Cecília Bastos/USP Imagens

Após o lançamento, a diretora da Poli, Liedi Bernucci, explicou que a participação da escola no concurso envolve a coordenação das inscrições e as análises dos trabalhos apresentados pelos alunos. “O objetivo é incluir os jovens na discussão sobre mineração e recuperação de áreas e aproveitar as boas ideias que podem trazer, não apenas na área de engenharia”, afirmou. “O concurso pretende que os jovens tragam seus sonhos para a realidade e, na sua liberdade de conhecimento e usando seus conhecimentos, proponham soluções para a sociedade.”

O professor Giorgio Di Tomi, chefe do Departamento de Engenharia de Minas e Petróleo da Poli, destacou que no concurso não haverá limitação sobre bem mineral, localização e uso das áreas de mineração. Os projetos poderão envolver outras áreas além da engenharia, como arquitetura e turismo. “Uma área minerada pode ter vocação para várias aplicações. Por exemplo, é possível fazer um parque para uso da comunidade, um criadouro de peixes ou um depósito de resíduos da construção civil”, ressaltou. “Cada região do Estado tem situações diferenciadas e problemas específicos, com anseios e expectativas muito peculiares, e poderá desenvolver as soluções mais adequadas à necessidade da comunidade local.”

As inscrições para o concurso podem ser feitas no site do Núcleo de Pesquisa de Mineração Responsável (NAP Mineração) da USP até o dia 30 de junho, às 23 horas. O concurso abrangerá duas modalidades: mineração em cava e mineração em meia encosta. Poderão participar estudantes regularmente matriculados em universidades do Estado de São Paulo, podendo formar equipes de até cinco pessoas. A relação de documentos necessários para a inscrição e as instruções para a apresentação dos trabalhos podem ser consultadas no edital.

Os trabalhos inscritos serão submetidos a uma comissão julgadora com 20 membros, formada por professores universitários, representantes do setor produtivo, de órgãos estaduais e especialistas na área. O anúncio dos vencedores acontecerá no dia 31 de julho, na página www.usp.br/nap.mineracao/concurso-destinacao-areas-mineradas. A cerimônia de premiação acontece no dia 10 de setembro, em local a ser definido pela Poli. Os três melhores projetos de cada modalidade serão premiados com troféus e certificados. Dúvidas e pedidos de outras informações sobre o concurso podem ser enviados ao e-mail nap.mineracao@usp.br.

Mais informações: e-mail nap.mineracao@usp.br

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados