Wikipedia vira ferramenta estratégica para difusão científica

Centro de pesquisa Neuromat defende conhecimento livre e ciência aberta, e usa a Wikipedia para colocar isso em prática

O compartilhamento de conhecimento livre na enciclopédia eletrônica envolve parceria entre o Cepid NeuroMat, museus e instituições de pesquisa – Foto: Divulgação / Matemateca – USP

.
Instituições de pesquisa têm buscado diferentes alternativas para tornar mais acessível à população o conhecimento científico produzido. Um trabalho do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (NeuroMat), sediado na USP, usa a criatividade para fazer da Wikipedia uma ferramenta de difusão da ciência. O conteúdo de matemática alimentado em português pelo Neuromat, por exemplo, fez do centro o maior colaborador institucional da enciclopédia eletrônica, que é um dos sites mais acessados no mundo.

Parte do apelo da Wikipedia vem do fato da  plataforma ser multilíngue, ter licença livre, estar disponível na web e ser escrita de forma colaborativa. Assim, os materiais criados ou aprimorados pelo Neoromat em português podem ser visualizados por milhões de pessoas no mundo. Um desses projetos, feito em colaboração com o Instituto de Matemática e Estatística da (IME) da USP, foi a disponibilização de vídeos e imagens do acervo da Matemateca, publicados em arquivos gerados sob licença livre Creative Commons. A matemateca tem uma coleção de objetos de natureza interativa e materiais didáticos que podem ser usados pelo público leigo e por professores em sala de aula.

Outra ação de destaque foi a que possibilitou ao público acesso a um dos acervos mais importantes da história e cultura brasileiras, o do Museu Paulista da USP (conhecido como Museu do Ipiranga, que atualmente se encontra fechado para visitação pública para execução de restauro e modernização). Enquanto o espaço não é reaberto, os visitantes podem navegar pelos conteúdos virtuais. Um projeto piloto compartilhou as primeiras 149 fotos do acervo da instituição, que soma mais de 70 mil fotografias históricas. Atualmente, já foram baixadas cerca de 6 mil fotos, dezenas de vídeos, áudios e gifs.  O material já disponibilizado pode ser visto no link do Museu Paulista na Wikipedia.

Museu Paulista: enquanto o espaço não é reaberto, os visitantes podem navegar pelos conteúdos virtuais – Foto: Francisco Emolo / Arquivo Jornal da USP

.
Na mesma proposta da parceria Museu Paulista, outra cooperação permitiu acesso livre e gratuito aos profissionais e estudantes da área de Medicina Veterinária e Zootecnia a um rico acervo científico on-line. O conteúdo inclui uma coleção de dados e fotos de esqueletos, modelos anatômicos e animais preservados pelo Museu de Anatomia Veterinária, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ).  Para visualizar, acesse o link do Museu de Anatomia Veterinária na Wikipedia.

Museu de Anatomia Veterinária da FMVZ  passou a fazer parte da Wikipedia – Foto: MAV via Wikipedia

.
Treinamento do Wikidata

Periodicamente, o NeuroMat promove eventos ligados a inovação e desenvolvimento da ciência. Seguindo essa proposta foi realizado nos dias 09 e 10 de junho, o Wikidata Lab VIII. O evento, que aconteceu na Cidade Universitária em São Paulo, teve a presença de Andrew Lih e Magnus Manske, dois dos principais nomes relacionados aos projetos Wikimedia no mundo. Os convidados trouxeram ideias e treinamento para o uso e o aprimoramento do Wikidata, o banco de dados que alimenta a Wikipedia.

Verbete: Neuromat

Imagem: reprodução/Neuromat

Como informa o respectivo verbete na Wikipedia, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (Cepid NeuroMat ou NeuroMat) é um centro de pesquisa científica fundado em 2013 e situado na USP. O centro é especializado no uso da modelagem matemática e da neurociência teórica para desenvolver uma nova teoria do cérebro chamada de neuromatemática. É coordenado desde sua fundação pelo matemático Antonio Galves e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O NeuroMat reúne pesquisadores em matemática, ciência da computação, estatística, neurociência, biologia, física e comunicação, entre outros, de universidades brasileiras e estrangeiras.[O projeto se embasa na ideia de que a neurociência desenvolveu ferramentas para gerar bases de dados a partir de recursos experimentais, mas não tem o quadro conceitual adequado para analisá-la, usando a matemática para conectar tais dados observados e análises mais abstratas.

O NeuroMat também é um centro de pesquisa que defende o conhecimento livre e a ciência aberta.

Mais informações: (11) 3091-1717 ou e-mail comunicacao@numec.prp.usp.br, com João Alexandre Peschanski, supervisor de comunicação do NeuroMat

 

Textos relacionados