Sem Sir Isaac Newton, não existiria a astronomia que conhecemos

A maior parte do que conhecemos sobre o Universo vem de uma técnica baseada em descoberta de Newton, a espectroscopia

The Star-Spectroscope of the Lick Observatory desenhado por James Keeler e construído por John Brashear – Imagem: Domínio público via Wikimedia Commons

Poucos deixaram seu nome na história da física e da matemática como Isaac Newton. Mas suas contribuições para a astrofísica – e para a astronomia de maneira geral – também são notáveis.

Nesta edição de Entender Estrelas, o professor João Steiner resgata um pouco desse legado, que inclui, entre outras coisas, a lei da gravitação universal, que determina que tudo que tem massa, de nós mesmos aos astros, se atrai com uma força maior quanto maior forem as massas e menor for a distância entre os corpos.

Ele descobriu ainda que a luz branca se decompõe em várias cores do espectro visível, o que é a base para a espectroscopia, e com a qual é possível analisar a composição da luz dos objetos no espaço que chega aos telescópios, conhecendo assim várias informações, como a composição química, temperatura e movimento das estrelas. “Eu sempre digo que, pelo menos 80% do que conhecemos, sobre o Universo, vem da espectroscopia, o que é muita coisa.”

Ouça a coluna na íntegra no player acima.

Textos relacionados