Projeto “Monitor da Violência” fortaleceu pauta da segurança pública

Para Bruno Paes Manso, trabalho de jornalismo de dados incitou mais discussão sobre o tema ao expor 1.195 mortes em sete dias em 2017

  • 24
  •  
  •  
  •  
  •  

O Monitor da Violência é um projeto idealizado pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP junto ao portal G1 e ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública e teve seu pontapé inicial com o monitoramento de todos os casos de homicídios, feminicídios, suicídios, latrocínios e mortes por violência policial, observados entre os dias 21 e 27 de agosto, em 2017. Foram constatadas 1.195 mortes apuradas por 230 jornalistas em Secretarias de Segurança, unidades do Instituto Médico-Legal (IML) e delegacias em todo o País. Bruno Paes Manso, doutor em Ciência Política pela USP e pós-doutorando do NEV, fala em entrevista à Rádio USP sobre os resultados obtidos um ano após o início do projeto.

De acordo com Bruno, as 1.195 mortes foram acompanhadas durante esse ano, observando até que ponto os casos foram investigados, se houve identificação de suspeitos e julgamento, por exemplo. Dos 1.195 casos, apenas 30 foram julgados até o momento da entrevista.

“É um trabalho que tem ajudado a pressionar por mudanças.” Após a realização do relatório e da continuidade do projeto, a discussão sobre segurança pública passou a estar em pauta, sendo abordada pelas principais candidaturas à presidência do campo democrático. Um ano depois, 469 casos tem autores identificados e, em 215 casos, um ou mais suspeitos foram presos.

Ouça a entrevista na íntegra pelo link acima.

  • 24
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados