Pacientes com diabete devem estar alertas para o uso de antibióticos

Antibióticos usados com frequência são prejudiciais à saúde em qualquer indivíduo, mas nos diabéticos os danos podem ser maiores

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O diabete pode diminuir a habilidade de o corpo combater infecções e, por consequência, aumenta o crescimento de bactérias e o risco de outras contaminações. O boletim Pílula Farmacêutica desta semana fala sobre os impactos do uso de antibióticos por pessoas com diabete.  

Antibióticos usados com frequência são prejudiciais à saúde em qualquer indivíduo, mas nos diabéticos os danos podem ser maiores. O fígado, que é o responsável pela metabolização dos medicamentos, pode sofrer lesões por estar mais vulnerável a doenças na presença do diabete.

O uso de antibióticos para tratar infecções pode abrir portas para a proliferação de outras bactérias, por exemplo, a candidíase, que se reproduz mais facilmente quando as bactérias vaginais sofrem com a ação dos antibióticos. A microbiota intestinal também sofre efeito parecido, que fica desequilibrada e causa novas inflamações, afetando a absorção da insulina.

Existe o risco de o tratamento frequente de infecções bacterianas acarretar outras doenças que vão precisar de mais uso de antibióticos, dando início a um ciclo vicioso que pode causar super-resistência às bactérias e prejudicar a saúde desses pacientes.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados