G7 poderá se tornar um G6 no futuro

Globalização e cidadania traz esta semana uma explicação sobre o que querem dizer G7, G8 e G20

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

O professor Pedro Dallari trata esta semana do encontro do G7, ocorrido no último fim de semana (dias 7 e 8), em Quebec, região de fala francesa do Canadá. O G7 foi constituído em 1975, com os 7 países mais ricos e influentes do globo: EUA, Canadá, França, Reino Unido, Itália, Japão e Alemanha. Existe também o G8, que reúne todos os países do G7 mais a Rússia, que, depois da dissolução do bloco soviético, passou a ser integrada, em 1997, aos restantes países capitalistas – em 2014, ela foi desligada após invadir a Ucrânia e se apossar da Crimeia. E há ainda o G20, com os componentes do G7 mais os países de economia emergente, China à frente de uma lista que tem Brasil, Índia, África do Sul, os chamados Brics.

Por que exitem G7, G8 e G20? Justamente porque o mundo globalizado demanda para um grande número de seus problemas soluções que não devem ser individuais, precisam ser tomadas em conjunto. Nesse sentido, o que ocorreu na reunião deste último G7 mostrou uma fragmentação do grupo. Donald Trump se recusou a assinar o documento proposto, a respeito de problemas ambientais, direitos humanos e segurança. E se retirou do encontro. Assim, num futuro não distante, o G7 poderá se tornar um G6. Confira a íntegra do comentário no link acima.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados