Estudo confirma os benefícios da convivência com o verde

Pesquisadores constataram um aumento no tecido cerebral de crianças que viviam próximas a áreas arborizadas

A vida agitada nas grandes cidades faz com que cresça a necessidade de uma convivência mais próxima com a natureza, razão pela qual muitas pessoas não abrem mão de viverem perto de áreas arborizadas. O professor Paulo Saldiva dá razão a essas pessoas, citando um estudo publicado numa revista científica. Nesse estudo, pesquisadores, após medirem os efeitos, sobre crianças, das consequências de crescer perto de áreas verdes, chegaram à conclusão de que há benefícios para a saúde delas, na forma de um aumento do volume cerebral, especialmente em áreas relacionadas ao aprendizado.

Esses dados são importantes, diz o colunista, pois confirmam a hipótese segundo a qual nós, humanos, temos uma necessidade de convívio com a natureza em maior ou menor grau, hipótese essa chamada de biofilia. Mais uma razão para que tornemos nossas cidades mais verdes, com a construção de parques e a recuperação daqueles que se encontram degradados.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.