Estudantes de Direito criam aplicativo contra abuso de policiais e outros crimes

Victor Abrahão, estudante do terceiro ano da graduação na Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, integra a equipe Bird Box, que se tornou startup e passará por fase de incubação

 Publicado: 14/06/2022
Foto: 123RF

.
Inspirados no caso George Floyd, homem afro-americano asfixiado por um policial branco em 2020, a equipe Bird Box, formada por estudantes de Direito, criou uma ferramenta para registro de provas contra abuso de policiais e outros crimes, premiada no Global Legal Hackathon 2022, chegando à semifinal da competição e em outros eventos internacionais. 

A equipe Bird Box é composta dos estudantes Richard Henrique, Maurício Pimenta e Victor Grossi, estudantes de Direito da Faculdade Milton Campos (FMC), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), respectivamente; Otávio Gomes, sócio da Trilha Gestão Jurídica; e Vitor Abrahão, acadêmico do terceiro ano da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP.

Victor Abrahão, aluno do 3º ano de Direito da FDRP – Foto: Arquivo pessoal

Para desenvolver o aplicativo, os estudantes utilizaram a tecnologia BlockChain, um sistema que registra informações presentes na internet através de criptografia, com o objetivo de democratizar a produção de provas audiovisuais em casos de violência policial, abusos de autoridade, crimes de homofobia, racismo e xenofobia, por exemplo. Outra utilização importante do Bird Box é o registro de crimes cometidos durante viagens de aplicativos de transporte, frequentemente denunciados por mulheres.

De acordo com Victor Abrahão, um dos integrantes da equipe, “a ideia é mostrar que existem vários George Floyds pelo mundo, inclusive no Brasil, e dar voz para essas pessoas, facilitando a produção de provas imutáveis, evitando os casos em que as vítimas são coagidas a apagar o conteúdo gravado ou quando o celular é destruído ou tomado”.

Um dos pilares do aplicativo, segundo Victor, é a possibilidade de resgate das informações gravadas por um familiar em caso de falecimento ou alguma fatalidade. O Bird Box permite o compartilhamento entre pessoas pré-registradas, facilitando o acesso das provas em diversas situações. Segundo o acadêmico, o aplicativo tem função “análoga a uma caixa-preta, semelhante às encontradas em aviões”.
.

Clique no player a seguir para ouvir a entrevista do acadêmico Victor Abrahão e do professor Nuno Coelho ao Jornal da USP no Ar, Edição Regional.


.
Tecnologia como pilar de formação dos estudantes

Segundo o professor Nuno Coelho, diretor da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP, “a dedicação à inovação é peça-chave na formação de futuras profissões do direito”. As novas tecnologias e ferramentas, diz o diretor, precisam ser valorizadas, já que propiciam um ambiente que forma melhor os alunos e dá condições para que eles se tornem profissionais informados, capazes e autores de transformação.

Telas do aplicativo que auxilia o registro de abusos policiais e outros crimes – Foto: Reprodução/Birdbox

 

Agora, a Bird Box, startup montada pelos integrantes da equipe e que leva o mesmo nome do aplicativo, passa para a fase de incubação da Associação dos Advogados do Estado de São Paulo (AASP), já que a ferramenta ficou entre as cinco primeiras de 120 selecionadas pelo órgão. Além disso, a Bird Box também participa de eventos internacionais, incluindo Nova York, em um programa que conecta líderes jovens que querem mudar o mundo.

Por: Ferraz Junior e Vinicius Botelho

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.