Em São Paulo, especialistas discutem a relação mídia-educação

De 12 a 14 de novembro, em São Paulo, evento debate a educomunicação em instituições de ensino, políticas públicas e sociedade

Por - Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=203512
  • 248
  •  
  •  
  •  
  •  
Da esq. para a dir.: Carolyn Wilson (Canadá), da Unesco, Guillermo Orozco (México), da Universidade de Guadalajara, Ismar Soares, presidente da ABPEducom e professor da USP, e Gianna Cappello (Itália), da Universidade de Palermo, são alguns dos convidados para o Congresso Internacional de Comunicação e Educação – Foto: Divulgação/ ABPEducom

.

Há várias décadas, projetos sociais e educacionais têm aproximado os jovens e o campo da comunicação, tanto para que conheçam o funcionamento da mídia quanto para incentivá-los a se expressar usando as mais diversas tecnologias. Hoje, esses projetos são parte importante nas soluções que o mundo procura frente aos desafios para garantir o fortalecimento da democracia, a inclusão digital e o livre acesso à informação.

É diante desse cenário que será realizado o segundo Congresso Internacional de Comunicação e Educação, de 12 a 14 de novembro, na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, em São Paulo. Educadores, pesquisadores, ativistas, estudantes, jornalistas e outros profissionais das Américas, da África e da Europa se encontram para debater o tema “Educação Midiática: práticas democráticas pela transformação social”.

O congresso ocorre 20 anos após a primeira edição, que foi considerada um dos eventos mais importantes na história da área. Desde então, têm ganhado força os estudos sobre a mídia como parte do currículo escolar e os projetos culturais que amplificam a voz de crianças e adolescentes e defendem seu direito à expressão e à cidadania. Essas iniciativas vêm sendo lideradas e apoiadas por agentes da mídia-educação e da educomunicação, dois movimentos que estão ampliando o diálogo e a colaboração entre si.

Programação

Ao longo dos três dias de mesas-redondas e painéis temáticos, acompanhados de oficinas, apresentações de trabalhos e atividades culturais, especialistas nacionais e internacionais debaterão temáticas variadas, que vão da presença da educação midiática nas políticas públicas, nos projetos de organizações da sociedade civil e nos programas de pós-graduação, passando pela sua articulação em redes internacionais, até o seu envolvimento nas relações étnico-raciais, de gênero e com o meio ambiente.

Entre os mais de 80 convidados, estão Guillermo Orozco Gómez, pesquisador da Universidade de Guadalajara (México) consagrado pelos seus estudos sobre o impacto da televisão na formação de plateias na América Latina; e Carolyn Wilson, premiada educadora da Western University (Canadá) e presidente da Gapmil, aliança internacional da Unesco para parcerias em Alfabetização Midiática e Informacional.

Também participam da programação a professora da Universidade de Palermo (Itália) e coordenadora de programas de treinamento de professores em educação midiática, Gianna Maria Cappello; e o professor da Universidade de Huelva (Espanha) e gerente da Comunicar, a mais respeitada revista científica ibero-americana do campo da comunicação e educação, Ignácio Aguaded.

Estarão presentes, ainda, nomes brasileiros reconhecidos pela sua atuação histórica, como Ismar Soares, principal referência em educomunicação no Brasil, presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) e professor sênior da USP; Regina de Assis, diretora da TV Escola, ex-secretária municipal de educação do Rio de Janeiro e professora aposentada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); e Raph Gomes Alves, professor da rede estadual de educação de Goiás e diretor de Currículo e Educação Integral do Ministério da Educação.

Outros convidados são o jornalista, empreendedor social e fundador da ONG Viração Educomunicação, Paulo Lima; a professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e pós-doutoranda na Universidade de Coimbra (Portugal), Rosane Rosa; e o roteirista, diretor do Canal Futura e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), João Alegria.

O evento marca também a oitava edição do Encontro Brasileiro de Educomunicação, realizado pelo Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) da USP. As inscrições devem ser feitas através do site oficial do evento até o dia 9 de novembro. A taxa para o público geral se encontra no valor de R$ 400, mas existem preços especiais para associados da ABPEducom (R$ 230) e estudantes de graduação (R$ 120) e pós-graduação (R$ 200).

O congresso é promovido pelo NCE e pela ABPEducom, com patrocínio das Pró-Reitorias de Cultura e Extensão Universitária, de Pesquisa e de Graduação da USP, Instituto Palavra Aberta, Instituto Unibanco, Colégio Dante Alighieri, Capes e Paulinas. São apoiadores do evento a Gapmil/Unesco, Viração Educomunicação, ECA/USP e curso de Licenciatura em Educomunicação da USP.

Serviço

Congresso Internacional de Comunicação e Educação / Encontro Brasileiro de Educomunicação
Data: 12 a 14 de novembro
Local: Escola de Comunicações e Artes da USP
Av. Lúcio Martins Rodrigues, 443, campus Cidade Universitária – São Paulo
Inscrições e mais informações: www.abpeducom.org.br/congresso

Da Assessoria de Comunicação da ABPEducom

 

  • 248
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados