Zehbour Panossian é a primeira mulher a assumir o cargo de diretora do IPT

Cerimônia de posse foi realizada no dia 21 de junho e contou com a presença do reitor Vahan Agopyan

  • 419
  •  
  •  
  •  
  •  
(Da esq. p/ dir.) O reitor Vahan Agopyan; o ex-diretor do IPT, Fernando Landgraf; a nova diretora-presidente, Zehbour Panossian; e o secretário estadual Jânio Benith – Foto: Divulgação SDECTI

“O IPT somos nós. Este não é simplesmente um slogan. Trata-se, antes de tudo, de um compromisso em torno de união, trabalho, identidade e metas compartilhadas visando ao bem comum.” Assim, a nova diretora-presidente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Zehbour Panossian, definiu as metas de sua gestão na cerimônia que marcou sua posse, realizada no dia 21 de junho, e que contou com a presença do reitor da USP, Vahan Agopyan.

Zehbour, que é física formada pelo Instituto de Física da USP e professora convidada do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica (Poli), sucedeu o engenheiro metalurgista e também professor da Poli, Fernando Landgraf. É a 18ª diretora-presidente em 118 anos de história do IPT e, também, a primeira mulher a assumir o cargo.

“Juntos, os jovens e os veteranos da casa, os pesquisadores e os técnicos que criam e aplicam soluções tecnológicas para aumentar a competitividade das empresas e também dirigem seus esforços para as políticas públicas promovendo a qualidade de vida dos nossos municípios, assim como os administrativos cujo apoio faz tudo acontecer, vamos trabalhar para alcançar nossas metas. Vou dar o melhor para que o instituto avance e tenha cada vez mais impacto na sociedade, e para isso o compromisso de cada um é tão importante”, considerou a nova diretora.

O reitor Vahan Agopyan ressaltou o orgulho da USP em ter o IPT como entidade associada. “O instituto nasceu como Gabinete de Resistência dos Materiais dentro da Poli e passou a ser uma autarquia quando da criação da Universidade, em 1934”, contou.

Agopyan, que foi diretor-presidente do IPT de 2006 a 2008, disse se considerar um ‘ipeteano’. “Comecei como jovem pesquisador no IPT, na década de 70. Naquela época, tínhamos grande motivação e a certeza de que estávamos contribuindo para nosso país”, afirmou.

O reitor considera que um dos principais desafios da nova diretora será o de “convencer nossos governantes que o desenvolvimento econômico não é apenas um problema financeiro, mas de produção, de tecnologia. Não existe produção sem desenvolvimento tecnológico, e este é o papel do IPT. Precisamos buscar o reconhecimento, pela sociedade, sobre a importância do desenvolvimento cientifico-tecnológico para o progresso de nosso país”.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jânio Francisco Benith, pasta à qual o IPT está vinculado, ressaltou, em seu discurso, a trajetória da nova diretora-presidente. “A posse de Zehbour Panossian vem em um momento em que as mulheres lutam cada vez mais por espaço e igualdade. Sua atuação no instituto acontece há mais de quatro décadas, tendo ela ao longo de sua trajetória enfrentado desafios como professora, pesquisadora e orientadora, ou seja, todos os passos transpostos por ela a credenciam para o novo cargo”, afirmou. “É um grande momento para a história do IPT, que tem sido essencial para atender às demandas do setor público e do privado, assim como contribui para o desenvolvimento, melhoria e qualidade de vida de toda a sociedade.”

Também participaram da cerimônia o ex-diretor do IPT, Fernando Landgraf; o presidente do Conselho de Orientação do IPT, Roberto Caiuby Vidigal; a secretária-chefe da Casa Militar do Estado de São Paulo e coordenadora estadual da Defesa Civil, Helena dos Santos Reis; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), José Goldemberg; a diretora da Poli, Liedi Legi Bariani Bernucci; o pró-reitor de Pós-Graduação da USP, Carlos Gilberto Carlotti Junior, dentre outros convidados.

Zehbour é física formada pelo Instituto de Física da USP e professora convidada do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica (Poli) – Foto: Divulgação/IPT
  • 419
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados