USP seleciona propostas para a gestão sustentável de suas reservas ecológicas

A Superintendência de Gestão Ambiental investirá R$ 500 mil em ações que promovam a conservação de suas reservas ecológicas

Por
Foto: Divulgação/Prefeitura do Campus da Capital

 

A Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) lançou um edital que selecionará propostas de ações de manejo sustentável que garantam a conservação das reservas ecológicas da USP.

O valor total de recursos investidos pela SGA é de R$ 500 mil e o valor máximo destinado a cada projeto é de R$ 100 mil. O objetivo é assegurar a sustentabilidade e a preservação da biodiversidade e dos ecossistemas das áreas protegidas, por meio de ações de uso, conservação e proteção dos recursos naturais, inclusive com a implantação das estruturas físicas necessárias à sua gestão.

Os projetos devem ter dois anos de duração, contados a partir do dia 30 de abril de 2021, e ser coordenados por dirigentes das unidades ou das Prefeituras dos campi. As ações também podem contar com parcerias e contrapartidas externas.

As propostas podem ser encaminhadas para a Superintendência de Gestão Ambiental até o dia 12 de abril, pelo e-mail sga@usp.br. Clique aqui para consultar o edital.

Reservas ecológicas da USP

A USP dedica mais de 30% de seus 7.600 hectares de território para a conservação de áreas verdes, fragmentos de florestas semideciduais e cerrados que ainda mantêm considerável biodiversidade nativa, integridade estrutural e funcional.

Tercio Ambrizzi – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Seis campi possuem áreas consideradas reservas ecológicas: Lorena, Piracicaba, Ribeirão Preto, Pirassununga, São Carlos e São Paulo (distribuídas entre a Cidade Universitária e o Parque CienTec, na Água Funda), todas regulamentadas por uma legislação interna.

“Preservar nossas reservas ecológicas significa preservar o nosso meio ambiente e, desta forma, colaborar para mitigar as emissões dos gases de efeito estufa que têm contribuído para o aumento do aquecimento médio global. Este segundo edital se integra perfeitamente com o primeiro, em se tratando de esforços para evitar uma mudança do clima global e, com isso, beneficiar a todos nós que vivemos no planeta Terra”, explicou o superintendente de Gestão Ambiental, Tercio Ambrizzi.

Ao todo, são 2.519 hectares de reservas que contribuem para a conservação do ecossistema e da biodiversidade local, para a produção de conhecimento e formação de recursos humanos, além de outras atividades de cultura e extensão de serviços à comunidade, servindo de exemplo para a elaboração de políticas públicas.

Universidade sustentável

Esse é o segundo edital lançado pela SGA para selecionar projetos institucionais que incentivem a sustentabilidade na USP, envolvendo as unidades e Prefeituras dos campi, com apoio financeiro da Superintendência e de parceiros.

No final do ano passado, a SGA selecionou 15 projetos voltados para a redução e a compensação da emissão de gases de efeito estufa e gases poluentes nos campi da Universidade. O objetivo é incentivar ações que utilizem energia renovável, identifiquem fontes de emissão de gases poluentes, adotem padrões de tecnologias limpas e consumo racional. Os projetos devem ser executados nos próximos dois anos.

Considerada uma das universidades mais sustentáveis do mundo e líder entre as instituições brasileiras, a USP instituiu, em 2018, a sua Política Ambiental – um conjunto de princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos jurídicos desenvolvido para promover uma gestão ambiental integrada, com a adoção de padrões sustentáveis de produção e consumo, protegendo o meio ambiente e enfatizando a educação ambiental.

Os temas que compõem a Política Ambiental da USP são: administração; água e efluentes; áreas verdes e reservas ecológicas; edificações sustentáveis; educação ambiental; emissões de gases do efeito estufa e gases poluentes; energia; gestão de fauna; mobilidade; resíduos; e uso e ocupação territorial.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.