Museu Paulista inicia transferência de acervo com 30 mil objetos

O processo de transferência de móveis, telas, esculturas e veículos do edifício-monumento para outros imóveis deve durar dez meses

Os veículos são alguns dos objetos que estão sendo transferidos para imóveis próximos ao edifício-monumento – Foto: José Rosael / Museu Paulista

O Museu Paulista iniciou, no último dia 11 de junho, o processo de transferência dos acervos de objetos – móveis, telas, esculturas e veículos – do interior do edifício-monumento para imóveis que foram adaptados para funcionar como reservas técnicas e laboratórios enquanto são realizadas as obras do prédio. O processo integral de transferência desse acervo, que totaliza cerca de 30 mil itens, deve durar dez meses.

“As equipes responsáveis pela guarda e conservação dos acervos vêm trabalhando no projeto de transferência para  as  reservas técnicas provisórias há muito tempo. Primeiro, no projeto de mobiliário especial que abrigará os acervos nos novos espaços, que teve o apoio da Fapesp, depois, na distribuição dos itens e, por fim, na logística de transferência, envolvendo o controle da saída, do transporte e da chegada. É uma experiência sem paralelos no Brasil, pelas dimensões e complexidade das coleções que abrigamos. Estamos documentando todo o processo. Trata-se de um material importante para discutir métodos de transferências de acervos com nossos pares e formar novos profissionais”, destaca a diretora do museu, Solange Ferraz de Lima.

O museu foi fechado à visitação pública em 2013 e, desde então, o edifício vem passando por uma série de intervenções estruturais. Paralelamente, o museu começou a tratar da transferência de seus acervos para viabilizar a execução das obras.

Anteriormente, haviam sido realizadas as transferências da Biblioteca, da Documentação e da Iconografia, um conjunto de aproximadamente 420 mil itens. A Biblioteca reabriu ao público em abril de 2017 e o Serviço de Documentação Histórica e Iconografia, em junho do mesmo ano.

Novo museu

Em dezembro do ano passado, o escritório Hereñu+Ferroni Arquitetos foi anunciado como o vencedor do concurso nacional para o projeto arquitetônico do novo museu e está desenvolvendo o projeto executivo das obras, que deverá ser finalizado até abril de 2019.

A partir da conclusão do projeto executivo, a Universidade promoverá a licitação das obras civis para a execução dos trabalhos, que devem resultar em um novo museu, restaurado, acessível e moderno, integralmente dedicado às áreas expositivas e às atividades culturais.

A data prevista para a reabertura do Museu do Ipiranga é em 2022, no âmbito das comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil.

Apesar do fechamento da área expositiva, o museu continua atendendo aos pesquisadores e realizando os procedimentos de curadoria, realizando exposições externas e promovendo projetos de difusão de seus acervos. Os novos imóveis, que receberam mobiliário especializado financiado por meio de um projeto de infraestrutura da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), permitirão a continuidade dessas atividades.

O processo de transferência dos cerca de 30 mil objetos deve durar dez meses – Foto: José Rosael / Museu Paulista

Com informações do Serviço de Assessoria de Imprensa, Marketing e Relações Públicas do Museu Paulista

Textos relacionados