Filme “Segundo Tempo” retrata a construção de identidades

Drama tem roteiro e direção de Rubens Rewald, professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP

 31/03/2023 - Publicado há 2 meses
Por
Segundo Tempo é um projeto de 11 anos e parte do orçamento é oriunda do Fundo Setorial do Audiovisual e da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – Foto: Divulgação

 

Logo após o falecimento do pai, os irmãos Ana e Carl embarcam para Frankfurt, na Alemanha. Lá fazem um mergulho nas origens paternas alemãs e em suas próprias identidades. Essa é a premissa de Segundo Tempo, novo filme de Rubens Rewald, professor e chefe do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, agora em cartaz no cinema.

Com 1 hora e 47 minutos de duração, o drama foi premiado como Melhor Filme Latino-Americano no Festival de Cinema Judaico de Punta del Leste em 2020. Embora não seja autobiográfico, muito da história do diretor se entrelaça com o que é visto na tela. “O meu pai veio para o Brasil fugindo da Segunda Guerra Mundial por ser judeu. Depois, eu comecei a pensar na família da minha mãe. Eles vieram para o Brasil porque foram expulsos. Eu pertenço a uma família de exilados políticos”, relata.

“É importante a gente saber a nossa história, a nossa identidade, o histórico da nossa família, como a gente veio parar aqui, para melhor entender por que a gente age dessa maneira hoje e também para pensar no futuro, para não repetir os mesmo erros”, diz Rewald. 

O diretor de cinema e professor da USP Rubens Rewald – Foto: Arquivo pessoal

“Esse filme é um pouco road movie”, analisa Rewald. Nos “filmes de estrada”, um deslocamento geográfico causa a transformação dos personagens. Em Segundo Tempo, a viagem para a Alemanha faz com que Ana e Carl se aproximem. “Eles são muito diferentes um do outro, mas, chegando lá e descobrindo mais sobre suas famílias, acabam se juntando, tendo uma história em comum, e pode-se dizer que nesse momento eles só têm um ao outro”, detalha o diretor.

Segundo Tempo é um projeto de 11 anos. Rewald começou a pensar no filme em 2012 e no ano seguinte o roteirizou. Em 2017, conseguiu finalizar o orçamento a partir do Fundo Setorial do Audiovisual e da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. As filmagens entre Brasil e Alemanha ocorreram em 2018. Um ano depois, o filme estava pronto, “mas devido à pandemia e ao governo Bolsonaro, que provocou uma paralisação da Ancine, eu só consegui lançá-lo agora em 2023”, revela o diretor.

Cartaz do filme Segundo Tempo – Foto: Reprodução

A demora, porém, garantiu ao filme uma força extra, na opinião de Rewald. “O começo do filme é muito apreensivo para os dois irmãos, eu acho que o público que passou pela experiência da pandemia e do Bolsonaro sente essa opressão também”, opina. O filme não fala apenas de histórias do passado. O diretor diz que ele também dialoga com a realidade atual de extremismo e ataques à democracia.

Em Segundo Tempo, a cidade de São Paulo é transformada em um personagem que mantém diálogo com os outros. Nos demais filmes de Rewald, não é diferente. O diretor possui uma conexão especial com a capital paulista. “Eu sou fascinado pela cidade, pela loucura dela. Em certos momentos, ela é hostil, em outros, acolhedora. Sempre ela reserva novidades e surpresas, sempre é imprevisível”, relata o diretor.

Rubens Rewald não é o único uspiano envolvido com o filme. Há outros no elenco e na equipe técnica. O professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) da ECA Eduardo Santos Mendes foi o editor de som e Sandro Dalla Costa, funcionário do mesmo departamento, fez a mixagem. O ator Thiago Amaral é bacharel em Artes Cênicas pela ECA. Os assistentes de direção Thaís Almeida Prado e Ricardo Mordoch são ex-alunos da escola. Rodolfo Moreno, um dos produtores, também foi aluno do Curso Superior do Audiovisual.

O filme Segundo Tempo, de Rubens Rewald, está em cartaz no cinema Petra Belas Artes (Rua da Consolação, 2.423, Consolação, em São Paulo), com sessões únicas diárias, às 14 horas, até pelo menos quarta-feira, dia 5. Os ingressos podem ser adquiridos on-line (neste link) e na bilheteria. Mais informações estão disponíveis no site do cinema Petra Belas Artes.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.