Em nova mostra, Cinema da USP revê ficção científica dos anos 80

De 4 a 29 de setembro, obras selecionadas enfocam a estética que inspirou as produções atuais

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Cartaz da nova mostra do Cinema da USP, que traz filmes de ficção científica dos anos 80 – Foto: Divulgação

Na década de 1980, perspectivas de grandes avanços tecnológicos num futuro nem tão distante, aliadas ao temor dos efeitos negativos que essas tecnologias poderiam trazer para a humanidade, se refletiram em vários aspectos da cultura popular, especialmente no cinema, com uma onda de filmes de ficção científica. Com os clássicos do gênero produzidos naquela época novamente em voga, o Cinema da USP (Cinusp) Paulo Emílio proporciona aos fãs da ficção científica a chance de vê-los na telona, com a nova mostra Sci-Fi: Anos 80, que estreia na segunda feira, dia 4 de setembro, e continua até dia 29 de setembro.

O programador da mostra, Luca Dourado, conta que, mais do que aproveitar a nova onda de filmes de ficção científica nos cinemas, com produções como A Chegada, Interestelar e Vida e continuações como Alien: Covenant e a nova trilogia de Star Wars, a intenção da mostra é preencher um vácuo. “Muita gente na Universidade só ouviu falar, mas nunca teve a chance de ver esses filmes que vamos passar, especialmente numa sala de cinema. E essas produções são de um gênero e uma época que têm uma estética muito específica. Então achamos que valia a pena mostrar isso.”

Com tantos exemplos considerados clássicos que se poderia escolher para exibição, os programadores do Cinusp tiveram que fazer alguns recortes. “Por mais que haja grandes obras feitas nos anos 70 que influenciaram toda a estética e a temática dos filmes da década seguinte, e também produções excelentes feitas nos anos 90 a partir deles, decidimos focar mesmo nos anos 80, pela estética particular que eles trouxeram. Mesmo assim, ainda tínhamos 30 filmes na primeira lista. Era muita coisa”, explica Luca.

E. T. – O Extraterrestre, com direção de Steven Spielberg – Foto: Reprodução

“Procuramos não repetir muitos filmes de um mesmo diretor, mesmo considerando que alguns diretores tenham sido responsáveis por várias obras que se tornaram ícones do gênero. É o caso de David Cameron, John Carpenter e David Cronenberg, por exemplo, que são os únicos diretores com mais de um filme selecionado para a mostra”, completa.

A questão estética também fez com que os programadores decidissem não incluir produções nacionais nesta mostra, ao contrário do que geralmente acontece. “Na primeira lista, tínhamos filmes como Abrigo Nuclear, feito em 1981 por Roberto Pires, mas acabamos deixando-os de fora, porque as ficções científicas feitas no Brasil tinham uma estética muito própria, muito diferente, que ficaria um tanto deslocada em meio aos outros filmes.” Integram a mostra majoritariamente produções norte-americanas, mas também as distopias britânicas 1984 e Brazil — O Filme, a australiana Mad Max 2: A Caçada Continua e a japonesa Akira.

O Último Guerreiro das Estrelas, de Nick Castle – Foto: Reprodução

Entre os outros 13 filmes selecionados estão grandes sucessos como o episódio 5 da saga Star Wars: O Império Contra-ataca, E.T. — O Extraterrestre, Blade Runner, o Caçador de Androides, Aliens, O Resgate e Robocop — O Policial do Futuro, além de produções que mostram um lado mais sombrio do gênero, como A Mosca, de David Cronenberg, e Eles Vivem, de John Carpenter.

O programador Luca Dourado ainda destaca mais uma obra: Tron — Uma Odisseia Eletrônica. “Embora esse filme não seja um dos meus favoritos, comparado a outros da mostra, ele é muito importante para o gênero e para a história do cinema por sua ousadia e pela inovação com efeitos de computação gráfica, por exemplo, aspectos que ainda não eram muito desenvolvidos à época e são parte importante dos filmes de ficção científica, por isso julgamos relevante incluí-lo.”

Tron – Uma Odisseia Eletrônica, dirigido por Steven Lisverger – Foto: Reprodução

Para finalizar a programação, a equipe do Cinusp fez uma escolha incomum, mas que se encaixa perfeitamente à proposta: no dia 29 de setembro, uma sexta-feira, será exibida uma maratona com a primeira temporada completa da série Stranger Things, produzida em 2016 pela Netflix. Assim como a mostra, a série é uma ode à ficção científica e à estética dos anos 80.

“Essa série reúne todos os elementos estéticos que nós queríamos destacar na mostra, a ambientação, a trilha sonora, o desenvolvimento da história, além de ser recheada de referências aos filmes e à cultura dos anos 80. Além disso, a segunda temporada de Stranger Things está prevista para estrear no final de outubro. Então imaginamos que seria legal que as pessoas pudessem ver ou rever os primeiros episódios no cinema, uma experiência diferente. Entramos em contato com a Netflix, que nos concedeu os direitos para exibir a primeira temporada”, conta Dourado.

Os oito episódios de Stranger Things serão exibidos em sequência, a partir das 14 horas do dia 29 de setembro, com duas pausas: a primeira após o terceiro episódio, depois mais uma após o sexto, e então os dois últimos encerram a mostra.

slide
A Mosca- direção_ David Cronenberg
slide
Akira- direção Katsuhiro Ôtomo
slide
Aliens,_ O Resgate_ direção_ James Cameron
slide
O Imperio contra ataca
slide
Scanners_ Sua Mente Pode Destruir_ Direcao David Cronenberg
slide
RoboCop – O Policial do Futuro_ Direção Paul Verhoeven
slide
Brazil - O Filme_ direção_ Terry Gilliam
slide
SCI-FI ANos 80 - 1984 Direção Michel Radford
PrevNext

As demais sessões da mostra Sci-Fi: Anos 80 acontecem de 4 a 29 de setembro, de segunda a sexta, às 16 e às 19 horas, no Cinusp Paulo Emílio, com entrada gratuita. O endereço é Rua do Anfiteatro, 181, Favo 4 das Colmeias, na Cidade Universitária. Para a programação completa e outras informações, acesse o site do Cinusp.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados