Ferramenta que monitora covid-19 aponta aumento de casos suspeitos na Grande SP

Baseada em Inteligência Artificial, InfoTracker aponta aumento de casos suspeitos na grande SP e capital, enquanto interior do estado mantém estabilidade e queda

 12/11/2020 - Publicado há 10 meses  Atualizado: 13/11/2020 as 15:53

Número de casos suspeitos de covid-19 no Estado de São Paulo aumentou, de acordo com ferramenta de monitoramento. A plataforma, chamada Info Tracker, registrou crescimento de possíveis casos de síndrome respiratória na Grande São Paulo e na capital, enquanto o interior mantém estabilidade e queda.

Wallace Casaca, docente da Unesp e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP São Carlos, é responsável pela manutenção da plataforma, que usa matemática e Inteligência Artificial para projetar o número de contaminados pela covid-19. Ele conta ao Jornal da USP no Ar que os dados da pandemia começaram a ser analisados em março, e que hoje são acompanhadas as situações de 92 municípios de São Paulo.

A coleta de dados é feita por meio do acesso dos boletins epidemiológicos oficiais divulgados pelas Prefeituras. A partir daí, as informações são compiladas, analisadas e disponibilizadas na plataforma. “Tentamos coletar diversos tipos de dados, não só aqueles usualmente disponibilizados pela imprensa. Temos acesso ao número de casos descartados, suspeitos e outros dados, como a frequência com que a Prefeitura atualiza seus boletins. Com isso, podemos tecer varias perspectivas em relação à pandemia”, explica o professor.

O que chamou a atenção dos pesquisadores foi que, de agosto até o início de novembro, enquanto houve um aumento significativo do número de casos suspeitos na Grande São Paulo, no interior do Estado esse dado foi diminuindo.

Casaca conta que “em Campinas, no dia 1° de agosto, foram registrados 8.500 casos suspeitos e, em 5 de novembro, foi para 4.600, o que é uma queda de 44%. Porém, na região Sudeste da Grande São Paulo, houve um crescimento de 75%. E essa tendência se repete em outras sub-regiões”.

Na capital, há cerca de meio milhão de casos suspeitos. “Em geral, para cada caso confirmado, temos três descartados, o que indica 25% de probabilidade de confirmação de covid-19, dependendo da região. Por termos uma quantidade alarmante de possíveis casos, isso é preocupante. Além disso, as internações se estabilizaram desde meados de outubro, quando o melhor cenário seria a diminuição. Isso é um sinal de alerta”, diz o docente.

Além disso, considerando o número de descartados e confirmados, pode-se estimar a quantidade de testes realizados. Como os casos descartados também registraram queda, isso pode ser um indicativo de que as Prefeituras estão fazendo menos testes, de acordo com o pesquisador. Dadas as circunstâncias, Casaca acredita que o Brasil caminha para uma segunda onda de covid-19: “Apesar de ser difícil inferir sobre isso, considerando a elevação do número de suspeitos, que podem ou não ser confirmados, a estagnação da quantidade de internações e menos testes sendo realizados, é possível que estejamos no início de uma segunda onda”.

Saiba  detalhes ouvindo a entrevista na íntegra e acessando o site do Info Tracker.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.