Aplicativo ajuda a reduzir o risco de lesões em atletas

Pesquisador da EEFE quer facilitar o trabalho dos profissionais do esporte no controle de carga dos treinos

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  
Clubes de futebol profissional já utilizam a plataforma, mas a ideia é expandir o público para qualquer pessoa que queira melhorar o rendimento esportivo e reduzir o risco de lesão – Foto: shauking via Pixabay – CC

.
Para tomar decisões sobre os treinos, os profissionais do esporte precisam computar e tabular uma variedade de dados dos atletas, que incluem desde a qualidade de sono até dores articulares, percepções de recuperação ou fatores biomecânicos. Especialmente em modalidades coletivas, é um trabalho moroso e burocrático. Um aplicativo promete facilitar o trabalho desses profissionais e ajudar a diminuir o risco de lesões.

“Os profissionais que trabalham com os atletas chegam a reportar um dispêndio de 30% a 50% de seu tempo tabulando esses dados”, afirma João Gustavo de Oliveira Claudino, pesquisador da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP e fundador da startup Load Control, empresa que desenvolve o aplicativo.

Foto: reprodução

O app pode ser usado tanto no celular quanto no computador. Ele reúne e processa dados obtidos diretamente com o atleta por meio de questionários, dispositivos de GPS, monitor de frequência cardíaca e marcadores bioquímicos, entre outros. A partir dessas informações, a plataforma auxilia os treinadores a compreender os dados e transformá-los em ferramenta para um melhor controle de carga no treinamento. A redução do risco de lesão é uma consequência.

Claudino afirma que clubes de futebol profissional já utilizam a plataforma, mas a ideia é expandir o público para qualquer pessoa que queira melhorar o rendimento esportivo e reduzir o risco de lesão por meio de uma regulação das cargas de treinamento. “Nosso propósito é transformar os dados que são obtidos em conhecimento que possa ser aplicado na prática do profissional do esporte”, diz.

O pesquisador da EEFE consolidou a ideia de criar o app durante doutorado-sanduíche na Auckland University of Technology, na Nova Zelândia, e a colocou em prática ao voltar para o Brasil e iniciar o pós-doutorado na USP, orientado pelo professor Júlio Cerca Serrão.

Na Load Control, Claudino junto uma equipe de especialistas nas áreas de tecnologia da Informação, design e do próprio meio esportivo. A startup foi selecionada em 2017 por um edital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e passou a receber mentoria e aporte financeiro da Aceleradora Baita, de Campinas. Além disso, a startup foi acelerada pelo Programa SEED, do Governo do Estado de Minas Gerais.

Com informações da Seção de Relações Institucionais e Comunicação da EEFE

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados