Teste de tecnologia de identificação de expressões faciais usa porcos

Arbix comenta que uma coisa é identificar o humor de um animal e outra é aplicar isso em humanos

O uso da tecnologia de reconhecimento facial é polêmico e desde o seu surgimento gera muito debate. Atualmente, ela já está disponível até em smartphones. Glauco Arbix conta que a novidade dentro desse tema é que uma ferramenta parecida está sendo testada não com humanos, mas sim com porcos.

Uma universidade escocesa com tradição em pesquisa de inteligência artificial percebeu que esses animais têm mudanças de humor que são perceptíveis por expressões faciais. A intensão é que o algoritmo consiga ser aprimorado até que seja ágil o suficiente para ser usado em pessoas.

“Uma coisa é identificar o humor de um porco e outra é passar isso para os humanos”, ressalta o colunista. Segundo ele, não é fácil equacionar esse avanço tecnológico e o debate em torno disso envolve órgãos reguladores, legisladores e executivos pelo mundo afora. “É um debate sem fim”, finaliza.

Ouça a coluna Observatório da Inovação pelo player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •