Cientistas buscam aumentar confiança na inteligência artificial

Programas de inteligência artificial devem ser testados e terem explicados a metodologia utilizada e a natureza dos testes

  • 36
  •  
  •  
  •  
  •  

O professor Glauco Arbix, na edição de hoje, trata sobre os benefícios da inteligência artificial, desde que essas atividades sejam feitas com ética e cuidados morais, de modo a não difundir preconceitos e acentuar discriminações.

Arbix comenta sobre a Pesquisa da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, que mostra que, em sites de busca, quando se procura por bons empregos, com boas remunerações, aparece majoritariamente a figura dos homens, “isto porque a nossa sociedade discrimina a mulher que ganha menos, que não ocupa posições de comando, pelo menos na mesma proporção dos homens”.

Ainda na área de segurança pública, o professor conta que cientistas da IBM publicaram um artigo científico para aumentar a confiabilidade dos serviços de inteligência artificial, propondo que todo e qualquer algoritmo, ou todo e qualquer programa criado para trabalhar com inteligência artificial, tenha um suplemento anexado que diga se ele foi testado, se foi provado em outras bases de dados, e também pede para que os autores descrevam a metodologia utilizada, perguntando sobre a natureza dos testes.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Observatório da Inovação.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 36
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados