Suécia passa por nova realidade no setor de moradia

O país nórdico, que sempre foi referência no setor habitacional, enfrenta agora uma ameaça de crise

A urbanista Raquel Rolnik está na Suécia, como professora convidada na Universidade de Uppsala, onde apresentou seu recente livro, Urban Warfare, e se reúne  com estudiosos da questão urbana com visitas em conjuntos habitacionais. Na década de 1960, 1/3 das casas foi feito por cooperativas de trabalhadores, outros dois grupos foram divididos em casas para venda e aluguel.

Com uma arquitetura além do seu tempo, as casas foram construídas para famílias de todas as faixas de renda. O fato é que, a partir dos anos 80, parte desse estoque de moradias foi vendida para grandes nomes do mercado financeiro do setor e, com isso, a crise na habitação ameaça o país, já que muitos não têm condições de pagar. “O que está começando a se verificar, sobretudo em áreas que concentram muitos imigrantes, é uma superocupação dos apartamentos, uma degradação dessas condições de moradia”, diz a colunista. O  assunto foi o tema da coluna Cidade para Todos desta quinta-feira.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.