Risco de problemas cardíacos aumenta com variações de temperatura

Uma forma de combater esse risco é plantar mais árvores em nossas cidades, informa o colunista

  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Na coluna desta semana, o professor Paulo Saldiva responde à questão de como nosso organismo responde às, cada vez mais frequentes, variações de temperatura. Várias publicações brasileiras, com participação da USP e de grupos internacionais, têm estudado a relação entre clima, ondas de calor e variabilidade da temperatura e sua influência sobre as hospitalizações. Um dos estudos mais recentes mostra que, toda vez que a temperatura varia muito ao longo do dia, ocorrem internações em razão de infartos do miocárdio – ou seja, o risco de infarto aumenta à medida em que há variação de temperatura, principalmente em seus primeiros dias.

Saldiva observa, porém, que isso depende muito da região do País. No Nordeste, esse efeito deletério da variação brusca de temperatura sobre o organismo é menor em comparação às regiões Sul e Sudeste. “O antídoto para esse efeito é melhorarmos a resiliência térmica das nossas cidades, que significa ‘plante mais árvores'”, diz o colunista. Mas isso não depende apenas de uma prescrição médica.

Acompanhe pelo link acima a íntegra da coluna Saúde e Meio Ambiente.

  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados