Presidente eleito terá de lidar com agenda externa conturbada

Descrédito do Brasil no exterior, vulnerabilidade das fronteiras, tráfico de drogas e armas são alguns dos problemas

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

O embaixador Rubens Barbosa, na edição de hoje, apresenta suas considerações sobre as eleições e o cenário externo. Para ele, o próximo presidente, qualquer que seja, vai encontrar um cenário externo muito conturbado e incerto. O tema da política e do comércio externo brasileiro é completamente ignorado. “Temos grandes desafios internos sobre a economia, as reformas, a necessidade de modernização do País”, comenta.

Barbosa afirma que os desafios externos são cada vez maiores. “O protecionismo está crescendo, a economia global desacelera, queda no preço das commodities, comércio internacional em queda. Isso tudo tem impacto no Brasil.”

“O Brasil está em uma situação de isolamento, com atraso na inovação e tecnologia, perdendo influência, perdendo poder, perdeu espaço no comércio internacional. Temos que nos reinserir no fluxo dinâmico do comércio e da economia e fortalecer nossa voz no exterior. A voz do Brasil será mais forte à medida que a economia brasileira se fortaleça.” Ele ressalta: precisamos pensar o que queremos para a economia brasileira, o que queremos para a posição do Brasil no mundo.

O embaixador aponta como principal problema brasileiro a falta de agenda externa para o próximo ano. “Quem quer que ganhe terá que enfrentar o descrédito que existe contra o Brasil no exterior. A questão da integração nacional com a Venezuela, a vulnerabilidade das nossas fronteiras, o tráfico de drogas, de armas, que está afetando o nosso interesse.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Diplomacia e Interesse Nacional.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados