Para sair da crise, Facebook tenta se assumir como veículo de jornalismo

Lins da Silva elogia a iniciativa, mas considera que ainda não é suficiente para garantir a seriedade da rede social

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna de hoje, o professor Carlos Eduardo Lins da Silva comenta a iniciativa do Facebook de criar programas especificamente para a plataforma, caminhando para se assumir como um veículo de jornalismo. Segundo o professor, essa decisão é mais uma concessão que o Facebook está fazendo por estar passando por uma enorme crise na Europa, nos Estados Unidos e em outros países, na direção de se assumir como veículo jornalístico responsável pelo conteúdo. “Acho um passo na direção certa, mas ainda não o suficiente.”

O Facebook está sob a mira do Congresso americano, que investiga o compartilhamento de informações sobre cidadãos americanos junto a empresas de tecnologia chinesas. Muitos políticos americanos consideram esse assunto uma questão de segurança nacional. Lins da Silva diz que informações recentes mostram que o Facebook tem censurado matérias de veículos jornalísticos sérios por considerá-las políticas e por não quererem se comprometer com a divulgação do conteúdo. No entanto, “eles fazem concessões a ditaduras, entregam fontes como nenhum outra empresa jornalística séria faz, pagam pouco ou nada por conteúdo de jornalismo sério feito por profissional”, observa.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Horizontes do Jornalismo, por Carlos Eduardo Lins da Silva

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados