Encontro entre Trump e Kim Jong-un é rodeado de expectativas

O embaixador Rubens Barbosa lembra que foi de Trump a iniciativa de propor o encontro com o líder coreano

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O embaixador Rubens Barbosa traça algumas considerações sobre o primeiro encontro entre os líderes Donald Trump, dos Estados Unidos, e o norte coreano Kim Jong-un.

Barbosa comenta que Trump foi quem teve a ousadia de propor o primeiro encontro com um dos principais inimigos dos Estados Unidos. “O que nos choca são as idas e vindas do presidente americano. Esse encontro já foi cancelado e mantido duas vezes. O objetivo dos Estados Unidos é tentar o fim do programa nuclear da Coreia do Norte e do programa de mísseis. Também tenta um acordo de paz entre as Coreias do Sul e do Norte, facilitando a cooperação bilateral, que hoje se encontra suspensa, e ainda ajudar algum tipo de direitos humanos e democracia.”

Quanto à Coreia do Norte, o objetivo “é legitimar seu reconhecimento internacional, preservando o regime, de alguma maneira manter o arsenal nuclear, evitar o ataque americano e a sua consolidação como uma potência nuclear, tentando com isso eliminar as sanções financeiras impostas pelos Estados Unidos”, observa Barbosa.

A pergunta que não quer calar é se o presidente da Coreia do Norte é confiável. Barbosa avalia que o encontro pode representar um grande avanço ou um redondo fracasso. “A melhor hipótese é ser o primeiro passo para estabelecer algum tipo de entendimento. A peculiaridade é o encontro ser feito pelos dois presidentes sozinhos, o que não é muito usual na prática diplomática.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Diplomacia e Interesse Nacional.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados