Os efeitos do reconhecimento de Jerusalém como capital israelense

Colunista comenta a transferência da embaixada americana para Jerusalém e as consequências das ações de Trump

De acordo com o embaixador Rubens Barbosa, o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelo presidente norte-americano, Donald Trump, é um assunto de política interna. Segundo o especialista, judeus compõem uma grande base de apoio a Trump, e a pressão exercida por eles foi um catalisador da decisão tomada pelo americano.

Barbosa comenta que o pronunciamento do presidente revelou que a escolha ignorou as possíveis repercussões internacionais consequentes da decisão do governante, além de negligenciar as opiniões de muitos líderes mundiais e regionais.

Além disso, o embaixador prevê dificuldades para a retomada da posição dos Estados Unidos como mediador dos conflitos da região, uma vez que o país acaba de tomar partido em relação à questão palestina.

Ouça o áudio da coluna acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.