Ao deixar Acordo de Paris, EUA perdem chance de negociar mudanças

Decisão de Trump não tem unanimidade, mas entrega liderança em inovação de energia limpa para China e UE

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O professor do Departamento de Informação e Cultura da Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP) e colunista do Jornal da USP, Pedro Luiz Côrtes, afirma que Trump perde oportunidades para o país ao deixar o Acordo de Paris.

Ele explica que a decisão do presidente norte-americano vai contra a tendência mundial de redução de emissões e investimento para energia limpa. Dessa forma, a liderança dessa iniciativa passará para os países da União Europeia e China, que apoiam o acordo.

No entanto, segundo o professor, existe uma oposição à postura de Trump em alguns Estados como, por exemplo, a Califórnia. Isso vai exigir espera para verificar o real efeito da resolução do presidente. Além disso, a retirada dos EUA impede que o país interfira no acordo e negocie com outras nações quanto aos termos e metas estabelecidos.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados