Nos tornamos capatazes de nós mesmos

Nos obrigamos a fazer cada vez mais e cuidar de nós cada vez menos, comenta Saldiva

Na edição de hoje, o professor Paulo Saldiva volta a falar sobre o sarampo, que causou a primeira morte na cidade de São Paulo. Na opinião do professor, todos devem se vacinar, porque não há forma de se isolar da possibilidade de contágio do sarampo. “Uma vez por tosse ou por espirro, o vírus pode ficar viável por duas horas infectante em superfícies como maçanetas, corrimão, etc”, explica.

Saldiva não acredita que a falta de vacinação seja motivada apenas pelas fake news e descrédito das vacinas, mas também pelo fato de trabalharmos demais, com tarefas mais contínuas e complexas, renunciando a cuidar de nós próprios. “Nos colocamos cada vez mais em segundo plano, colocando tarefas e ocupações à frente das nossas necessidades. Nos tornamos capatazes de nós próprios. Nos obrigamos a fazermos cada vez mais e cuidar de nós cada vez menos”, ressalta

Ouça no link acima a íntegra da coluna Saúde e Meio Ambiente, no qual o professor Paulo Saldiva conversa com Cinderela Caldeira.

 


Saúde e Meio Ambiente
A coluna Saúde e Meio Ambiente, com o professor Paulo Saldiva, vai ao ar toda segunda-feira às 9h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.