Melhoria do acesso à saúde no Brasil passa pela atenção básica

A professora Marilia Cristina Prado Louvison diz que municípios pequenos não têm estrutura para comportar grandes centros médicos

Editorias: Atualidades - URL Curta: jornal.usp.br/?p=285462

Dados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais e Estaduais do IBGE mostraram que mais da metade dos municípios brasileiros ainda precisa encaminhar seus usuários da atenção básica de saúde para outras cidades para a realização de exames.

A professora Marilia Cristina Prado Louvison, da Faculdade de Saúde Pública da USP, explica, na entrevista cujo link pode ser acessado acima, os principais motivos do deslocamento de pacientes, ressaltando a dificuldade imposta pelo grande número de municípios no Brasil, sendo que muitos deles têm poucos habitantes e, por isso, não têm estrutura para receber especialistas.

Marilia apontou as medidas que devem ser tomadas para melhorar o acesso à saúde no Brasil, ressaltando a atenção básica e o atendimento de emergências. A professora ainda explicou as principais consequências para aqueles que dependem do sistema de saúde pública e têm que se deslocar para receber o devido atendimento.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.