Despejos aumentam para que áreas sejam ocupadas por construtoras

Processos judiciais dos últimos cinco anos somam 300 mil sentenças de despejo

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo está sendo usado pelo Observatório das Remoções, um projeto do LabCidade da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU), como forma de quantificar o número de remoções ou despejos da região  metropolitana de São Paulo.

Os números são impressionantes. Em cinco anos, as sentenças de despejos já somam mais de 300 mil no Estado de São Paulo; desses, 170 mil apenas na região metropolitana. Os dados mostram ainda que 80% desses despejos são por falta de pagamento. Três fóruns concentram esses processos:  o Central, o do Tatuapé (zona leste), e o de Santana (zona norte). A professora Raquel Rolnik, na coluna desta semana, explica ainda que parte desses imóveis é desocupada para favorecimento de construtoras.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Cidade para Todos.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.