Suspensão de exposição configura atentado à liberdade de expressão

A opinião é do colunista Alexino Ferreira ao comentar o encerramento antecipado da mostra “Queermuseu”, em Porto Alegre

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

.
Por pressão de grupos conservadores, como o Movimento Brasil Livre (MBL), que a considerou imoral, foi suspensa no Santander Cultural, em Porto Alegre, a exposição Queermuseu – Cartografias da diferença na arte brasileira. “Ações violentas como essa são um atentado à liberdade de expressão”, afirma o professor Ricardo Alexino Ferreira em sua coluna “Diversidades”

Com curadoria de Gaudêncio Fidelis, doutor em História da Arte pela Universidade do Estado de Nova York, a mostra tinha como objetivo debater temas como direitos LGBTs, racismo e violência religiosa. Para Alexino Ferreira, “nos últimos tempos, desde que governantes ilegítimos tomaram o poder e vêm desconstruindo ciência, ensino, direitos civis e trabalhistas no Brasil, somos tomados a todo momento por sobressaltos. A sensação é que estamos regredindo, à velocidade da luz, a períodos obscuros do processo civilizatório”.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados