Martin Grossmann critica a falta de um plano diretor para a Cidade Universitária

Em sua coluna, professor lamenta que o projeto modernista do campus da USP não chegou a ser concretizado integralmente

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Ouça a seguir a íntegra da coluna “Na Cultura, o Centro Está  em Toda Parte”

.

Praça do Relógio - Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Praça do Relógio – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O projeto modernista com que a Cidade Universitária da USP foi concebida não chegou a ser concretizado. Essa é uma das críticas feitas pelo professor Martin Grossmann em sua coluna “Na Cultura o Centro está em Toda Parte”, transmitida no dia 19 de outubro pela Rádio USP (93,7 MHz). “Houve uma tentativa, mas não temos um plano diretor, como acontece em Brasília, por exemplo”, diz o professor. “Não seria interessante pensar a locomoção com bicicleta ou mesmo a pé, com a criação de elementos arquiteturais que fizessem a ligação entre os prédios e possibilitassem, por exemplo, passar pela Praça do Relógio com certo conforto?”

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados