Colunista enaltece vitória da liberdade de expressão nos jogos olímpicos

Manifestações não ferem o conceito de globalização e devem ser consideradas legítimas enquanto expressões da individualidade de um povo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px
.

Foto: Roberto Castro/Rio2016
Foto: Roberto Castro/Rio2016

As vaias recebidas pelo presidente em exercício, Michel Temer, durante a cerimônia de abertura da Olimpíada, no Rio de Janeiro, chamaram  a atenção para um aspecto da globalização que foi escolhido por Pedro Dallari como tema de sua coluna semanal. Segundo ele, o fato de os jogos olímpicos promoverem a integração e a harmonia universais, as quais expressam o lado positivo da globalização, não significa a negação de aspectos próprios de cada cultura e de cada região do planeta.

É dentro dessa perspectiva, de acordo com Dallari, que as manifestações ocorridas na cerimônia de abertura da Olimpíada devem ser encaradas, assim como suas consequências, pois a atitude dos organizadores dos jogos, de impedirem as manifestações contra Temer e retirarem do local aqueles que protestavam, acabou no Poder Judiciário, o qual deu ganho de causa aos manifestantes por entender que não se pode impedir que as comunidades expressem suas individualidades. 

Segundo o colunista, a globalização deve ser um processo que combine a adoção de padrões gerais e universais com o respeito às leis, regras e costumes – desde que não firam direitos fundamentais –  das diferentes comunidades espalhadas pelo globo. A globalização, em que pese expressar noções de integração e harmonia, não pode se fazer às custas da eliminação da diversidade.

.

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados