Para colunista, cobertura da Olimpíada do Rio foi pobre e sem surpresas

Para colunista, o tipo de cobertura vista no Rio de Janeiro foi o mesmo visto nas edições anteriores do evento

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Foto: Montagem/Arte Jornal da USP
Foto: Montagem/Arte Jornal da USP

A Olimpíada do Rio terminou sem grandes contratempos. Mas a cobertura da imprensa, tanto nacional quanto internacional, foi pobre, pouco criativa e, em muitos casos, cheia de estereótipos. Quem analisa é o professor Carlos Eduardo Lins da Silva, em entrevista à jornalista Marcia Blasques. Confira no áudio.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados