Corais de hospital se reúnem e cantam na Cidade Universitária

Evento ocorre no dia 17, às 19 horas, no Centro de Difusão Internacional da USP, com entrada grátis

Editorias: Cultura, Eventos - URL Curta: jornal.usp.br/?p=252205

Na próxima semana, um evento na USP vai destacar uma atividade que tem beneficiado milhares de pessoas – a música vocal nos hospitais. O 16º Encontro de Corais de Hospital (HospCoral) será realizado no dia 17, segunda-feira, às 19 horas, no Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP, na Cidade Universitária. Treze coros de hospitais vão se apresentar no evento, que é promovido pelo Coral Encant’HUs, do Hospital Universitário (HU) da USP.

O HospCoral não tem caráter competitivo. O objetivo é desenvolver a prática do canto coral e conscientizar a sociedade sobre a importância social, educativa e cultural dessa atividade, além da sua relevância terapêutica. “A música promove uma melhora emocional e psicológica instantânea no paciente, gera felicidade”, afirma Zuleide Gomes da Silva, soprano que coordenou o Encant’HUs (Coral do Hospital Universitário da USP) por dez anos.

Esse aspecto positivo não se restringe aos pacientes, mas se refere também aos funcionários que participam do coral. “O intuito é fornecer um momento de bem-estar para diminuir níveis de estresse e fazer com que o rendimento aumente”, complementa a maestrina Renata Marino, regente voluntária do grupo. “Com a respiração abdominal, o sangue flui melhor e influencia a liberação de serotonina, o hormônio da alegria”, explica Alessandra Ferreira Lopes, atual coordenadora do Encant’HUs.

O coral também se relaciona com a educação, porque exige o aprendizado de uma nova linguagem. “Notas das partituras são uma maneira de conhecer uma nova linguagem. E as pessoas também aprendem a melhorar a prosódia, área da linguística que trabalha com dicção”, diz Renata.
.

A maestrina Renata Marino conduz ao piano o Coral Encant’HUs, do Hospital Universitário (HU) da USP – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.
A maestrina complementa que a música também ajuda a rever comportamentos viciados. Por exemplo, uma pessoa tímida vai cantar com o queixo para baixo, com o tronco encurvado e o som não vai sair. “Automaticamente a gente ensina a ter uma postura ereta e a cantar olhando para a frente. Só esse movimento que ela corrige no corpo já ajuda a corrigir esse hábito no cérebro.”

O Encant’HUs soma 19 anos de experiência, sendo que o primeiro encontro foi em outubro de 2000. O grupo teve início com o intuito de promover esses aspectos positivos do canto coral para pacientes e funcionários, além de ajudar na integração. Atualmente, o coral possui 16 integrantes de diferentes departamentos do HU. As apresentações no hospital acontecem principalmente em datas comemorativas civis. O grupo também participa de eventos externos, como é o caso do HospCoral.
.

Da esquerda para a direita, Zuleide Gomes da Silva, Renata Marino e Alessandra Ferreira Lopes – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

16º Encontro de Corais de Hospital (HospCoral) será realizado no dia 17 de junho, segunda-feira, às 19 horas, no Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP (Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 310, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3091-9305.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •