Ausência de saneamento resulta em precárias condições de saúde

Engenheiro diz que saneamento precisa de colaboração de todos, pois é essencial para a promoção da qualidade de vida

  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Ambiente É o Meio desta semana entrevista Luiz Roberto Santos Moraes, graduado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre em Engenharia Sanitária pela Delft University of Technology, nos Países Baixos, e doutor em Saúde Ambiental pela University of London.

Moraes explica o que é cada um e qual a diferença entre saneamento básico e ambiental. De acordo com o professor, o processo constituinte do Estado da Bahia, de 1989, conseguiu definir o saneamento básico em cinco componentes diferentes: abastecimento de água com quantidade e qualidade para todos, esgotamento sanitário, manejo das águas pluviais, manejo dos resíduos sólidos e o controle ambiental dos vetores e transmissores de doenças.

Já o saneamento ambiental engloba todos os componentes básicos mais a prevenção e controle do excesso de ruídos, poluição, a disciplina sanitária do uso do solo e uma série de ações socioeconômicas que tem por objetivo alcançar a salubridade ambiental.

Moraes ressalta que a população precisa perceber quão importante é ter acesso ao saneamento básico e ambiental, para alcançar um ambiente com capacidade de prevenir a incidência de doenças veiculadas pelo meio ambiente e de promover condições favoráveis à saúde da população urbana e rural.

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

Ouça acima na íntegra o programa Ambiente é o Meio.

  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados