Na pandemia não existe dicotomia entre economia e saúde

Essa foi a mensagem da carta divulgada por centenas de economistas brasileiros sobre o enfrentamento da pandemia, segundo Luciano Nakabashi

Na coluna Reflexão Econômica desta semana, o professor Luciano Nakabashi comenta sobre a carta divulgada por centenas de economistas reconhecidos, onde dizem basicamente que não existe  dicotomia entre economia e saúde na questão da pandemia. Nakabashi afirma que esses profissionais ainda alertam que, para melhorar a economia do País, é necessário primeiro resolver a questão da saúde pública, reduzindo o contágio e a sobrecarga do sistema de saúde, através principalmente de vacinação em massa na maior velocidade possível, além de incentivar o distanciamento social e o uso de máscara.

Outro ponto destacado pelos economistas, segundo Nakabashi, é a necessidade de organização das ações de enfrentamento da pandemia entre os governos estaduais e municipais, mas liderados pelo governo federal.  “O governo federal, por natureza, em uma situação que afeta o país inteiro e outros países, é um elemento fundamental para organizar as ações de forma conjunta e estimular a produção e compra de vacinas.”

Nakabashi lembra que o Brasil conseguiu produzir com sucesso uma vacina a partir da decisão e planejamento do governo do Estado de São Paulo, o que poderia ter sido mais bem aproveitado se tivesse havido suporte do governo federal desde o início para ampliar a capacidade de produção dessa vacina.

Para Nakabashi, o governo federal tem errado em pontos básicos no enfrentamento da pandemia, como, por exemplo, na organização da ação conjunta entre os diferentes entes da Federação, na demora na compra e recomendação de vacinas e no estímulo para a produção da vacina no Brasil. E, na figura do presidente, Nakabashi aponta o comportamento minimizando as consequências da pandemia, não usando máscara, atacando governadores, entrando com ações contra medidas de controle da economia para manter sob controle ou não piorar ainda mais a situação do sistema de saúde. Em vários momentos, diz o professor, as ações do governo federal não ajudaram ou foram contra a melhora da pandemia, da contaminação e, consequentemente, da sobrecarga no sistema de saúde do nosso país. “Até hoje, o presidente parece não entender que, enquanto não for resolvida a questão da saúde, não vamos conseguir melhorar a situação econômica do País. As duas coisas andam juntas.”

Não é somente a obrigação de paralisação das atividades para conter o contágio que afeta a economia. Neste momento que o vírus está se disseminando mais rapidamente e o sistema está sobrecarregado, com mais pessoas morrendo, todos ficam com mais medo. “Ou seja, independentemente das ações do governo federal e dos governos municipais e estaduais, a economia vai sentir mais quanto menos eficientes forem as ações para controlar a pandemia.”

Para finalizar, Nakabashi afirma que “é necessário resolver a questão da pandemia e da saúde para a economia andar e nisso o governo federal,  como principal articulador, tem errado de forma sistemática e atrapalhado a retomada da economia do País”.


Reflexão Econômica
A coluna Reflexão Econômica, com o professor Luciano Nakabashi, vai ao ar toda quarta-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.