Exu e suas representações nas canções brasileiras

Pesquisadora fala aos “Novos Cientistas” sobre seu estudo em que analisa as representações do orixá Exu em canções brasileiras

  • 857
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Com o objetivo de contribuir para o ensino  da cultura e história africana e afro-brasileira, a educadora Lisandra Cortes Pingo desenvolveu, na Faculdade de Educação (FE), a pesquisa de mestrado Uma análise das múltiplas faces de Exu por meio de canções brasileiras: contribuições para reflexões sobre o ensino da cultura e da história africana e afro-brasileira na escola.

A pesquisadora participou do podcast Os Novos Cientistas onde falou sobre a figura emblemática de Exu e suas representações em canções brasileiras. “Procuramos desconstruir a associação desse orixá com o demônio cristão”, descreve Lisandra. A associação, segundo a educadora, foi realizada primeiro pela Igreja Católica e hoje reapropriada por algumas Igrejas Neopentecostais ao tornar Exu o alvo preferencial de abjeção, valendo-se de sua figura para difundir intolerância e perseguição às religiões de matriz africana. “É o racismo religioso”, diz Lisandra.

No levantamento realizado no estudo, Lisandra identificou mais de 70 canções que tratam de Exu, mesmo que implicitamente. Por meio de pesquisa bibliográfica, ela investigou os entrelaçamentos da trajetória do símbolo de Exu e suas múltiplas representações com a trajetória histórica e sociocultural do negro no Brasil. A escolha das canções como núcleos de reflexões sobre Exu se deu pelo reconhecimento da força mobilizadora da canção e por representar, cada uma delas, um aspecto diferente desse orixá no imaginário social.

 

O podcast Os Novos Cientistas vai ao ar toda quinta-feira, às 8 horas, dentro do Jornal da USP no Ar, que é apresentado diariamente pela jornalista Roxane Ré (das 7h30 às 9h30) na Rádio USP FM (93,7 MHz).

Ouça a íntegra do podcast.

 

 

  • 857
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados