Pílula Farmacêutica #32: Alergia precisa de diagnóstico e tratamento corretos

Cerca de 40% da população mundial sofre com o problema, reação exagerada do sistema imunológico a substância externa ao organismo

Por - Editorias: - URL Curta: jornal.usp.br/?p=334772

Pílula Farmacêutica #32: Alergia precisa de diagnóstico e tratamento corretos
Pílula Farmacêutica

 
 
00:00 / 6:59
 
1X
 

Reação exagerada do sistema imunológico ao contato com substâncias exteriores ao organismo, a alergia atinge grande parte da população mundial. Cerca de 40% das pessoas apresentam algum tipo de alergia. Nesta edição do Pílula Farmacêutica, a acadêmica Kimberly Fuzel, orientanda da professora Regina Andrade, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, alerta para as reações alérgicas que podem variar de leve a grave, exigindo um diagnóstico médico e tratamento adequado para evitar consequências graves.

Kimberly adianta que as alergias são “basicamente uma resposta de defesa do sistema imunológico”, produzindo anticorpos contra alguma substância ou agente agressivo ao organismo, os alérgenos. Conta que os alérgenos podem vir de causas variadas, de “tinta de papel até picada de algum inseto”.

Os sintomas ou reações só ocorrem em uma segunda exposição ao alérgeno. É que, no primeiro contato, a pessoa apenas se torna sensível. Portanto, a partir da segunda exposição, o organismo está pronto para reagir, produzindo substâncias de defesa e são elas que causam os sintomas mais comuns: dificuldade para respirar, olhos lacrimejando, espirros, inchaços. Em geral, as alergias surgem na infância, mas elas podem aparecer em qualquer idade e alguns estudos mostram que a alergia pode ser hereditária.

Entre os principais tipos de alergia estão as alimentares – causadas geralmente por proteínas (clara de ovo, leite, peixe ou frutos do mar) e cereais que contêm glúten – e as respiratórias, provocadas por alérgenos do ambiente – ácaros, fungos, poeira, pólen e cheiros fortes. Enquanto as alimentares podem causar dores e desconfortos, manchas avermelhadas na pele e até uma anafilaxia (reação grave que pode matar), as respiratórias trazem rinite, asma, com falta de ar, tosse seca, corrimento nasal e coceira no nariz, garganta, ouvidos e olhos.

Para evitar quadros mais graves, Kimberly aconselha buscar orientação médica para um diagnóstico correto, com exames específicos. Soluções caseiras e sem indicação médica podem agravar o problema.

Ouça este episódio do Pílula Farmacêutica na íntegra no player acima.


Pílula Farmacêutica
 
Apresentação: Kimberly Fuzel e Giovanna Bingre
Produção: Professora Regina Célia Garcia de Andrade e Rita Stella
Co-produção: Rita Stella
Edição geral: Cinderela Caldeira
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: segunda e quarta, às 10h40
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS .
Veja todos os episódios de Pílula Farmacêutica .

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.