USP participa de rede de universidades da China e da América Latina

O consórcio é coordenado pela Fudan University e congrega instituições de 12 países latino-americanos

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Os representantes das instituições se reuniram na Universidad del Rosario, na Colômbia – Foto: Divulgação

Representantes de 13 universidades do Brasil, China, Argentina, Colômbia, Peru, Chile e México estiveram reunidos, entre os dias 7 e 9 de novembro, na Universidad del Rosario, na Colômbia, para participar da assembleia do Fudan Latin America University Consortium (FLAUC).

O consórcio é coordenado pela Fudan University, uma das mais importantes e antigas universidades chinesas, localizada na cidade de Xangai.

A USP foi representada no evento pelo professor do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), Paulo Roberto Feldmann.

Além da USP, integram a rede a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidad de Buenos Aires, Universidad Nacional de la Plata, Pontificia Universidad Catolica de Chile, Universidad de Chile, Universidad del Rosario, Universidad de los Andes, Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey, Universidad Nacional Autónoma de México, Universidad ESAN e Universidad Nacional Mayor de San Marcos.

O consórcio tem como objetivo a troca de conhecimento e experiências, além do intercâmbio de alunos e professores para a promoção de pesquisas conjuntas, principalmente nas áreas de Administração, Economia e Contabilidade.

Segundo Feldmann, a proposta é que essas atividades se estendam a outras Unidades de Ensino e Pesquisa da Universidade e englobem temas comuns aos países da América Latina e à China, tais como a erradicação da pobreza, aumento da produtividade, mudanças climáticas e combate à poluição, melhoria do ensino, impactos da automação e da inteligência artificial sobre o emprego, entre outros.

Esta foi a primeira reunião anual do grupo após a assinatura do memorando de entendimento celebrado entre as Instituições, em junho deste ano.

No encontro deste mês, foram discutidos as regras, os procedimentos e os investimentos para a execução do acordo. No início do próximo ano, cada Universidade deverá propor nomes de pesquisadores que poderão receber bolsas para estadia de dois a seis meses na Fudan University. “No futuro, poderemos pensar em dupla titulação para os alunos latino-americanos que concluírem suas teses na China”, destaca o professor.

Também foi deliberada pela criação de uma revista científica da Flauc para a publicação de artigos ligados ao diálogo América Latina-China e pela integração das bibliotecas das Instituições.

Além da assembleia, também foram promovidos dois seminários sobre novas formas de desenvolvimento sustentável e renda média dos países. A próxima reunião do grupo está agendada para o próximo mês de maio, em Xangai.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados