Professora do Instituto de Química recebe Prêmio Rheinboldt-Hauptmann

A distinção homenageia pesquisadores que se destaquem pela excelência de seu trabalho científico e acadêmico

  • 14
  •  
  •  
  •  
  •  
A professora homenageada, Ohara Augusto, na cerimônia em que foi agraciada com o Prêmio Rheinboldt-Hauptmann – Foto: Cecilia Bastos/USP Imagens

A professora Ohara Augusto foi agraciada com o Prêmio Rheinboldt-Hauptmann, concedido pelo Instituto de Química (IQ) da USP. A cerimônia de premiação foi realizada no dia 5 de novembro, na sala do Conselho Universitário, no prédio da Reitoria, em São Paulo.

Ohara é professora titular do Departamento de Bioquímica do IQ. É bacharel e licenciada em Química e doutora em Bioquímica pelo mesmo instituto. Fez pós-doutorado na Universidade da Califórnia. Seus interesses de pesquisa incluem cinética e mecanismos de enzimas redox, mecanismos oxidantes e antioxidantes, processos infecciosos e inflamatórios e aplicações da espectroscopia de ressonância paramagnética eletrônica (EPR) em biomedicina.

É coordenadora do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Também é membro da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Mundial de Ciências.

A cerimônia contou com a presença do pró-reitor de Pós-Graduação da USP, Carlos Gilberto Carlotti Junior; do pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto; do diretor do IQ, Paolo Di Mascio; do vice-diretor do IQ e secretário-geral da Universidade, Pedro Vitoriano de Oliveira; do chefe do Departamento de Bioquímica do IQ, Maurício Baptista; do chefe do Departamento de Química Fundamental, Josef Wilhelm Baader; além de ex-diretores, docentes, funcionários e alunos do Instituto.

Após a premiação, a homenageada ministrou a conferência Vida, saúde e doença: uma complexa dança de elétrons.

O Prêmio Rheinboldt-Hauptmann foi criado em 1987 e homenageia pesquisadores que se destaquem pela excelência de seu trabalho científico e acadêmico. Os professores alemães Heinrich Rheinboldt e Heinrich Hauptmann, que dão nome ao prêmio, foram fundadores do Departamento de Química da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP e tiveram papel importante na nucleação do atual Instituto de Química da Universidade.

A cerimônia contou com a presença de dirigentes da Universidade, ex-diretores, docentes, funcionários e alunos do instituto – Foto: Cecilia Bastos/USP Imagens

 

  • 14
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados