Instituto de Química concede título de emérito a três professores

Pela primeira vez, desde a criação do Instituto de Química em 1970, a Unidade concedeu o título de professor emérito a três docentes: Walter Colli, José Manuel Riveros Nigra e Hernan Chaimovich Guralnik, que além de uma destacada carreira acadêmica, têm em comum o fato de terem sido diretores do IQ.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A cerimônia de outorga dos títulos foi realizada em sessão solene da Congregação do Instituto de Química, na sala do Conselho Universitário da Universidade, no dia 19 de outubro

Pela primeira vez, desde a criação do Instituto de Química (IQ) em 1970, a Unidade concedeu o título de professor emérito. Os homenageados foram: Walter Colli, José Manuel Riveros Nigra e Hernan Chaimovich Guralnik, que, além de destacada carreira acadêmica, têm em comum o fato de terem sido diretores do IQ. O título de professor emérito é uma distinção concedida, segundo o artigo 93 do Estatuto da USP, a professores aposentados, que se destacaram por suas atividades didáticas e de pesquisa ou contribuíram, de modo notável, para o progresso da Universidade. A concessão do título depende de aprovação de dois terços, respectivamente, dos componentes do Conselho Universitário ou das Congregações das Unidades.

Colli

994X1680
(Da esq. p/dir.) O diretor do IQ, Luiz Henrique Catalani; o reitor Marco Antonio Zago; os homenageados com os seus diplomas de professores eméritos:  Chaimovich, Riveros e Colli;  e o vice-reitor Vahan Agopyan

O professor aposentado da Faculdade de Medicina e pesquisador do Instituto Butantan, Isaías Raw, foi o escolhido para fazer a saudação a Walter Colli. Raw falou sobre a carreira acadêmica do homenageado – que tem graduação em Medicina, doutorado em Bioquímica, ambos pela Faculdade de Medicina da USP, e, de 1966 a 2009, foi professor do IQ. Na saudação, Raw também destacou os cargos administrativos que Colli ocupou ao longo de sua carreira, como o de diretor do Instituto Butantan – cargo que Raw também ocupou.

Colli foi diretor do IQ em dois períodos, de 1986 a 1990 e de 1994 a 1998, além de vice-diretor de 1982 a 1986. O professor foi o primeiro diretor do Instituto de Relações Internacionais (IRI), de 2006 a 2009, e presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, de 1999 a 2006. Além disso, é Doutor Honoris Causa pela Universidade de Buenos Aires (Argentina) e membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS). É membro da Ordem do Mérito Científico do Brasil nas classes Comendador (1995) e Grã Cruz (2000). Em 2014, foi agraciado com o prêmio Almirante Álvaro Alberto de Ciência e Tecnologia.

O professor Colli agradeceu a escolha de Isaías Raw para fazer sua saudação e a homenagem recebida do IQ e lembrou, também, que participou da reforma universitária de 1970 na USP, que deu origem ao Instituto e a outras Unidades. “Me sinto honrado em estar entre os primeiros a receber o título de professor emérito no âmbito do Instituto de Química, Unidade que frequento e à qual me dedico há 45 anos, com exceção dos sábados, domingos e feriados, o que nas minhas contas são cerca de 14 mil dias”, destacou.

Riveros

O convidado para saudar José Manuel Riveros Nigra foi o professor aposentado da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Fernando Galembeck. Também da área de Química, Galembeck ressaltou que os estudos de Riveros trouxeram avanços e abriram caminho para a química moderna no IQ. E, que além de ter assumido cargos administrativos importantes, teve recentemente um aluno de doutorado vencedor do Prêmio Capes de Tese [ofertado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior]. “Agradeço por ter ajudado a formar duas gerações de estudantes e contribuído com a ciência no cenário global”, finalizou Galembeck.

De nacionalidade paraguaia, Riveros tem graduação em Química pela University of California System e doutorado pela Harvard University (as duas nos Estados Unidos). Atuou como professor do IQ, de 1968 a 2010, no qual foi diretor, de 1982 a 1986. Foi professor visitante na Universiteit van Amsterdam (Holanda), na Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (Suíça), na University of California Irvine e na City University of New York (ambas nos Estados Unidos) e, atualmente, é professor visitante da Universidade Federal do ABC (UFABC). Desde 2005 é presidente da Sociedade Brasileira de Espectrometria de Massa.

Riveros disse que o título muito o honra e enobrece. Lembrou seus alunos  e os técnicos do IQ e agradeceu a eles, “os quais me auxiliaram muito nos trabalhos de laboratório”, e o fato de o Instituto ter lhe proporcionado condições de desenvolver um trabalho em diversas áreas.

994X1599
Em sua fala, o diretor do IQ, Luiz Henrique Catalani, destacou a importância de homenagear e lembrar as pessoas que contribuíram para a Universidade

Chaimovich

A professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, fez a saudação a Hernan Chaimovich Guralnik. Em seu discurso, Helena disse que o professor desenvolveu várias linhas de pesquisa e destacou alguns cargos de gestão e projetos dos quais esteve à frente durante sua carreira acadêmica: “desde janeiro, Chaimovich é o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), foi professor da USP de 1971 a 2009; implantou e coordenou o curso de Ciências Moleculares; foi pró-reitor de Pesquisa da USP, de 1997 a 2001; exerceu o cargo de vice-diretor do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, de 2006 a 2009”, elencou.

Chaimovich é chileno, tem graduação em Bioquímica pela Universidad de Chile e doutorado em Ciências Biológicas, na área de Bioquímica, pela USP. Atuou como diretor do IQ, de 2002 a 2006, no qual também foi chefe do Departamento de Bioquímica por duas vezes. Ele foi presidente da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq), de 1993 a 1995; vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências, de 2007 a 2015; vice-presidente do International Council for Science, de 2005 a 2008; e presidente da InterAmerican Network of Academies of Science (IANAS), de 2004 a 2010.

O homenageado destacou que o IQ ocupa uma posição única no Brasil, no qual as diversas áreas de pesquisa vivem em harmonia e que ele e os agora eméritos do Instituto ainda têm muito a contribuir. “Essa distinção é imensa, sem dúvida. Mas a minha motivação é sempre descobrir e contribuir para o avanço da ciência. E acredito que nós ainda estamos na luta pela sociedade e uma Universidade melhor”, declarou Chaimovich.

“Estamos em um momento histórico, o de criar uma tradição e reconhecer seus valores. Pois é importante lembrar a nossa história”, afirmou o diretor do IQ, Luiz Henrique Catalani. O diretor ressaltou que, além de homenagem, a concessão do título de professor emérito serve também para que não só o Instituto seja conhecido, mas também as pessoas que contribuíram para sua excelência. “Muito me honra que a minha assinatura esteja em um diploma entregue a estes três professores homenageados”, finalizou.

O reitor Marco Antonio Zago disse que é motivo de comemoração entregar um título de professor emérito a três professores que tiveram e ainda têm uma vida acadêmica destacada. Zago lembrou momentos em que trabalhou em parceria com Colli, de ter tido a honra de ocupar alguns cargos que Chaimovich também dirigiu e a importância de Riveros para o desenvolvimento na ciência e na tecnologia do Brasil.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados