Sergio Verjovski-Almeida: a procura pelos genes ativos nos cães especiais

Sergio Verjovski-Almeida, chefe do laboratório do Instituto de Química da USP conta como foram feitas as primeiras investigações e explica detalhadamente a técnica usada para analisar os genes que estão ativos nas células do músculo dos cachorros Ringo e Suflair.

 11/11/2015 - Publicado há 6 anos  Atualizado: 18/10/2019 as 11:34
Por

Sergio Verjovski-Almeida, professor do Instituto de Química da USP, conta como foram feitas as primeiras investigações e explica detalhadamente a técnica usada para analisar os genes que estão ativos nas células do músculo dos cachorros. A técnica é chamada de microarray de RNA.

Em seu laboratório, foi realizada parte da pesquisa que abre um possível caminho de tratamento futuro da distrofia muscular de Duchenne. Verjovski fala ainda da comparação entre cães normais, distróficos e Ringo e Suflair, considerados “escapers” por não sofrerem os sintomas da distrofia.

Leia também neste especial sobre distrofia de Duchenne:


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.