Pesquisadores da USP recebem Prêmio Jovem Cientista

Universidade também foi agraciada com o prêmio de Mérito Institucional Ensino Superior pelo maior número de trabalhos inscritos por seus estudantes e pesquisadores com mérito científico.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgou, no último dia 27 de novembro, os grandes vencedores da 26ª edição do Prêmio Jovem Cientista, cujo tema foi “Inovação tecnológica nos esportes”. Dois pesquisadores da USP foram agraciados em primeiro e terceiro lugares na categoria Graduado. A Universidade também recebeu o prêmio de Mérito Institucional Ensino Superior, porque foi a Universidade que apresentou maior número de trabalhos inscritos com mérito científico. Do total de 97 trabalhos inscritos no Estado de São Paulo, 28 foram de estudantes e pesquisadores da USP.

O pesquisador Rodrigo Gonçalves Dias, do Instituto do Coração (Incor), foi classificado em primeiro lugar por conta de seu trabalho em que identificou uma mutação genética capaz de comprometer o mecanismo de vasodilatação muscular durante a prática esportiva e, consequentemente, o desempenho do atleta. O estudo sugere que portadores do gene com o código alterado podem ser mais suscetíveis a doenças cardíacas e que, em atletas, a mutação pode diminuir a possibilidade de se destacarem em modalidades esportivas com maior demanda de resistência física. A pesquisa de Dias foi orientada pelo diretor da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE), Carlos Eduardo Negrão.

Classificado em terceiro lugar na Categoria Graduado, Eduardo Pimentel Pizarro, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), desenvolveu um projeto alternativo para as obras de infraestrutura a serem realizadas para os Jogos Olímpicos 2016. Sob a orientação do professor da FAU, Silvio Soares Macedo, Pizarro usou desenhos e fez uma análise do cenário atual baseada em pesquisas visando à diminuição do impacto no espaço urbano com a construção de uma vila sustentável.

“No Brasil, há grande descompasso entre a ciência produzida na Universidade e a transformação dessa ciência em tecnologia em benefício da sociedade, o que representa desafio significativo para as instituições de ensino superior. Nesse cenário, o Prêmio Jovem Cientista PJC representa incentivo e reconhecimento ímpares para que os cientistas possam aplicar seu conhecimento para atender às demandas sociais. Nesta edição, assim como o faz tradicionalmente, sempre conectado à realidade de nosso país, o PJC fez acertada escolha ao definir como tema a inovação tecnológica nos esportes, visto que o Brasil será sede de importantes eventos esportivos a partir do próximo ano”, destaca o reitor da USP, João Grandino Rodas.

O reitor ressaltou a iniciativa pioneira  da USP no meio universitário que é o desenvolvimento, desde 2010, do “Programa USP nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016”, que congrega apoio a atletas, pesquisas e atividades multidisciplinares, em áreas do conhecimento diversas, que têm a ciência do esporte como principal objeto de estudo.

Os vencedores da USP na Categoria Graduado receberão R$ 30 mil e R$ 15 mil, respectivamente. À USP serão pagos R$ 35 mil por ser a vencedora na Categoria Mérito Institucional. A cerimônia de entrega dos prêmios está prevista para o próximo dia 18 de dezembro, em Brasília.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados